0

7º suspeito da morte de Daniel é preso em condomínio de luxo

Ele foi detido no condomínio de luxo onde mora, em São José dos Pinhais

15 nov 2018
15h32
atualizado às 15h42
  • separator
  • comentários

A Polícia Civil de São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, prendeu na manhã desta quinta-feira, 15, o sétimo suspeito de ter participado do assassinato do jogador Daniel Corrêa de Freitas, na noite de 26 de outubro. Desta vez foi preso o jovem Eduardo Purkote, de 18 anos, no condomínio de luxo onde mora, em São José dos Pinhais.

Daniel tinha 24 anos, teve uma passagem pelo Coritiba em 2017, pertencia ao São Paulo e estava emprestado ao São Bento de Sorocaba
Daniel tinha 24 anos, teve uma passagem pelo Coritiba em 2017, pertencia ao São Paulo e estava emprestado ao São Bento de Sorocaba
Foto: Reprodução/Twitter / Estadão Conteúdo

Além de Purkote, já estão presos Edson Brittes Júnior, que confessou ser o autor do homicídio; a mulher dele, Cristiana Brittes, e a filha, Allana Brittes, acusadas de coagirem as testemunhas; e ainda os jovens Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos; David William Vollero Silva, de 18 anos; e Igor Kin, de 20 anos, por terem participado do espancamento e da execução de Daniel.

"Foram várias pessoas que espancaram o jogador. Ele esteve na mão de quatro ou cinco espancadores e alguns depoimentos nos levam a afirmar que mais pessoas participaram da agressão dentro da casa. Quanto ao local do crime, já ficou delineado quem auxiliou o Edison", explicou o delegado Amadeu Trevisan.

Daniel tinha 24 anos, teve uma passagem pelo Coritiba em 2017, pertencia ao São Paulo e estava emprestado ao São Bento de Sorocaba. O jogador aproveitou que não estava relacionado para um jogo do São Bento e veio a Curitiba para participar da festa de aniversário de Allana.

Ele foi morto pelo pai da aniversariante após postar fotos em uma rede social na cama do dono da casa, com a mulher dele dormindo. Depois disso ele foi espancado, colocado no porta-malas de um carro e levado para uma área rural, onde foi mutilado e morto.

Veja também:

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade