PUBLICIDADE

Cidades

Genro revela detalhes sobre caso com próprio sogro: 'Me chantageava'

Segundo Júnior Virgilio, de 23 anos, ele precisou "entrar no jogo" do sogro para criar provas e enviar para um advogado

29 nov 2023 - 12h12
(atualizado às 12h45)
Compartilhar
Exibir comentários
Genro revela detalhes sobre caso com próprio sogro: 'Me chantageava'
Genro revela detalhes sobre caso com próprio sogro: 'Me chantageava'
Foto: Reprodução/YouTube/Portal Morada

Um suposto caso de traição entre sogro e genro viralizou na internet na semana passada. Uma mulher afirmou nas redes sociais que seu marido se envolveu com o seu pai e publicou em seu perfil no Facebook uma série de vídeos deles em um motel de Araraquara, no interior de São Paulo, além de prints de conversas. O caso terminou em confusão, com um carro queimado, e uma pessoa espancada e hospitalizada. 

Nesta terça-feira, 28, o genro, em entrevista a um veículo local, trouxe mais detalhes sobre o caso e disse que era ameaçado pelo sogro toda vez que brigava com a esposa.

"Estou bastante abalado, nunca aconteceu isso comigo. Ele vem me ameaçando tem um tempo [...] A publicação desses vídeos [no motel] não tem consentimento meu, de nenhuma forma. Ele já usou esse tipo de coisa para poder usar contra mim, para querer me chantagear cada vez mais, por ser uma pessoa doentia. Desde que tudo aconteceu, ele vem me ameaçando cada vez mais", afirmou Júnior Virgilio, de 23 anos, ao veículo TV Morada do Sol, de Araraquara. 

Segundo o jovem, o sogro é obcecado por ele e já chegou a ameaçá-lo de morte ou de tirar o filho dele. Por isso, ele precisou "entrar no jogo" do homem para criar provas contra ele e já enviou tudo para um advogado cuidar do caso.

De acordo com Júnior, toda a história começou quando aconteceu a primeira briga com a esposa. O sogro teria convidado ele para "dar uma volta" e ter relações íntimas com uma garota de programa enquanto o pai da esposa observava. Conforme o jovem, ele voltou a ser chamado para fazer isso em outras ocasiões, mas ao se negar, começou a ser chantageado. 

"Quando eu brigava com a minha mulher, ele já me chamava para ir de novo dar uma volta com outra mulher. [...] E, se não fosse, ele usava para me chantagear, dizendo que ia contar para ela. Foi onde que a minha vida começou a ficar desagradável", relatou.

Relembre o caso

Uma mulher foi traída pelo marido com o pai dela e decidiu publicar tudo o que descobriu - com o auxílio de vídeos - em seu perfil no Facebook. Posteriormente, uma outra pessoa compartilhou a história no aplicativo X (antigo Twitter), o que aumentou a repercussão do caso.

A mulher contou que, ao pegar o celular do pai, descobriu uma troca de mensagens entre ele e o seu marido. Além disso, achou vídeos dos dois saindo de um motel, imagens em que o marido aparece sem roupa e até uma gravação que há o registro de um ato sexual. Em um comentário, o genro que mantinha relacionamento com o sogro disse que era obrigado a fazer aquilo, pois era chantageado por ele.

"Oi, gente. São dois safados, ninguém obrigou ninguém a fazer nada. Faziam há dois anos isso", escreveu a mulher em uma publicação, rebatendo a fala do marido.

Não satisfeita com a exposição online, a mulher também imprimiu a troca de mensagens entre os dois e distribuiu pela cidade.

A situação aconteceu em Araraquara, interior de São Paulo, e terminou em confusão também fora das redes. Segundo as postagens, a mulher colocou fogo no carro do marido ao descobrir o envolvimento entre os dois. 

O carro do marido da mulher foi incendiado
O carro do marido da mulher foi incendiado
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou que um homem, de 45 anos, se envolveu em uma briga familiar, depredou um veículo e arremessou uma garrafa que atingiu uma mulher que estava próxima. Ele foi agredido por pessoas que estavam na rua e socorrido à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, onde chegou a ser internado. "Foi solicitada perícia ao local, e os envolvidos notificados a comparecerem na unidade policial", diz a nota.

O caso foi registrado como dano e lesão corporal no Plantão da Delegacia Seccional de Araraquara e encaminhado à Central de Polícia Judiciária (CPJ) da cidade, onde é investigado.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade