PUBLICIDADE

Fotógrafo é morto a tiros após reclamar de som alto de vizinhos em Niterói

Segundo moradores contaram à polícia, os atiradores seriam traficantes; Thiago Freitas de Souza, de 32, reclamou que música havia acordado sua filha de 5 anos

16 mai 2021 19h38
ver comentários
Publicidade

RIO - A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí tenta descobrir quem matou o fotógrafo Thiago Freitas de Souza, de 32 anos. Ele morava na favela Santo Cristo, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, com a mulher e a filha de 5 anos, e por volta das 6 horas de sábado, 15, reclamou duas vezes a vizinhos do volume alto do som deles.

A música alta havia acordado a filha de Souza e não a deixava mais dormir. Os vizinhos, de acordo com relato de moradores à polícia, seriam traficantes. Na segunda reclamação, atiraram contra o fotógrafo. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital, às 7h55.

Souza será enterrado no cemitério da Arquiconfraria Nossa Senhora da Conceição
Souza será enterrado no cemitério da Arquiconfraria Nossa Senhora da Conceição
Foto: Google Street View/Reprodução / Estadão

Segundo a mulher de Souza contou à polícia, a filha do casal acordou devido à música alta na vizinhança. Souza saiu de casa para reclamar com os vizinhos, voltou, mas a música não parou. Então, saiu novamente às 6h30. A mulher ouviu um tiro em seguida. Ao sair de casa, encontrou o marido caído, baleado, no próprio quintal.

Souza foi levado ao hospital estadual Azevedo Lima e chegou a ser submetido a cirurgia, mas morreu às 7h55. A Polícia Civil informou que instaurou inquérito e está realizando diligências para identificar a autoria do crime.

A vítima será enterrada nesta segunda-feira, 17, no cemitério da Arquiconfraria Nossa Senhora da Conceição, em Niterói.

Estadão
Publicidade
Publicidade