PUBLICIDADE

Fortes chuvas em Santa Catarina deixam 2 mortos

Dois homens morreram e 26 cidades registraram estragos, que vão desde alagamentos, deslizamentos, queda de árvores e muros

4 mai 2022 19h01
ver comentários
Publicidade
Em Tubarão (SC), o Corpo de Bombeiros Militar atendeu 47 ocorrências e um total de 129 pessoas.
Em Tubarão (SC), o Corpo de Bombeiros Militar atendeu 47 ocorrências e um total de 129 pessoas.
Foto: Secom/Maurício Vieira / Divulgação

As fortes chuvas que assolam o estado de Santa Catarina já atingiram mais de 10 mil pessoas. No total, 26 municípios relataram estragos, que vão desde alagamentos, deslizamentos, queda de árvores e muros, e dois homens morreram em São Joaquim, segundo a Defesa Civil. Já  os municípios de São Joaquim, Tubarão e Orleans decretaram situação de emergência. 

O meteorologista chefe da Defesa Civil, Murilo Freta, informou que levantamentos apontam precipitações superiores a 200 mm nos municípios de Garopaba (262mm), Santa Rosa de Lima (262mm), Florianópolis (234mm), Mirim Doce (226.2), Rio Fortuna (226mm) e São Martinho (226mm). 

“O risco segue muito alto para ocorrências como alagamentos, enxurradas e inundações. Ainda há condições de fortes ventos e mar agitado. A Defesa Civil recomenda cautela e cuidados redobrados, não transitar em pontes e pontilhões submersos, estar atento a qualquer movimentação de massa, postes inclinados e rachaduras nas paredes. Em caso de ocorrência ligue 199 ou 193”, informou Freta.

O estado catarinense segue com os alertas de atenção máxima com risco alto para alagamentos, inundações e deslizamentos. A previsão do tempo para quinta-feira, 5, é de chuvas intensas e volumosas. As principais regiões afetadas são: Litoral Sul, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis.

Queda de barreira e deslocamento de rocha na Serra do Corvo Branco, em SC.
Queda de barreira e deslocamento de rocha na Serra do Corvo Branco, em SC.
Foto: SIE / Divulgação

Várias rodovias estaduais de SC tambmém registram trechos de interrupção total ou parcial em função das chuvas. Apesar do trabalho das equipes da Secretaria de Estado da Infraestrutura (SIE) apara liberação dos trechos, ainda há risco de mais deslizamentos em função do solo molhado. Além das rodovias, o governo do Estado e a Defesa Civil também monitoram o volume dos rios. 

O governador Carlos Moisés determinou  ativação da Sala de Situação da Defesa Civil estadual para monitorar a situação. 

Recomendações da Defesa Civil: 

Em caso de tempestades com ventos fortes e raios:busque um local abrigado, longe de árvores, placas, postes de energia e de outros objetos que possam ser arremessados

- em local abrigado, fique longe de janelas e desligue aparelhos eletrônicos
- em casa, o banheiro em alvenaria é um local muito seguro
- na praia, jamais fique na água


Em caso de alagamentos:

- evite entrar em contato com a água
- evite dirigir em locais alagados
- evite transitar por pontes submersas
- cuidado com as crianças próximas a rios e ribeirões

Quando há risco de deslizamentos de terra, fique atento a:

- inclinação de postes e árvores
- movimento de terra ou rochas próximos a sua casa
- rachaduras em muros ou paredes

Mar agitado:

- evite a navegação e pesca
- evite entrar no mar ou praticar esportes no mar
- evite caminhar ou pedalar na orla, caso as ondas estejam atingindo a ciclovia

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade