0

Estado de SP pode registrar novo recorde de calor

Depois de terça com termômetros nos 18 °C, Defesa Civil alerta para índices críticos de umidade do ar

16 set 2020
09h20
atualizado às 09h41
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Não deu nem tempo de curtir o refresco em São Paulo porque o calor já voltou. Nesta quarta-feira, 16, a temperatura disparou novamente com a volta do sol forte e o afastamento do ar frio de origem polar. A Defesa Civil do Estado retomou o alerta para uma forte onda de calor, com índices críticos de umidade relativa do ar para os próximos dias.

Movimentação de visitantes na reabertura do Parque do Ibirapuera, em São Paulo
Movimentação de visitantes na reabertura do Parque do Ibirapuera, em São Paulo
Foto: Tiago Queiroz / Estadão Conteúdo

Entre esta quarta-feira, 16, e sábado, 19, serão registradas máximas entre 32ºC e 35ºC na Grande São Paulo e na Baixada Santista, além das regiões de Registro, Sorocaba, Campinas e São José dos Campos. Já nas regiões de Presidente Prudente, Araçatuba, Barretos, São José do Rio Preto, Franca, Ribeirão Preto, Araraquara, Bauru e Marília, as temperaturas ficam entre 35ºC e 40ºC. Na quinta, 17, o calor aumenta na capital e pode bater novo recorde. Até o momento, a maior temperatura registrada na cidade de São Paulo este ano foi de 34,1°C no último sábado, pela medição oficial do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Na capital, a quarta começou com nuvens intercalando períodos de sol pela manhã na faixa leste paulista e a tarde o sol já estará brilhando mais forte. No interior paulista, o ar continua quente e seco e o nível de umidade no ar despenca nas horas mais quentes do dia. De acordo com o Centro de Gerenciamente de Emergências (CGE) da Prefeitura, os termômetros devem registrar mínima de 16°C e máxima em torno dos 31°C com taxas de umidade entre 30% e 90%. O dia será marcado por poucas nuvens, aumento da nebulosidade a partir do fim da tarde em função da chegada da brisa marítima, mas sem previsão de chuva.

Na quinta, o cenário atmosférico se mantém inalterado. Na madrugada os termômetros devem registrar 17 °C e céu com poucas nuvens. No decorrer do dia poucas nuvens, predomínio de sol e temperatura máxima prevista de 32°C, enquanto os percentuais mínimos de umidade do ar se mantêm ao redor dos 27%. O dia termina sem previsão de chuvas para a capital e Grande São Paulo.

Nos próximos dias voltam as condições de tempo seco com elevação das temperaturas e sem chuva, pelo menos até o sábado. As simulações mais recentes dos modelos de previsão indicam que os últimos dez dias do mês serão marcados por chuvas intermitentes provocadas por áreas de instabilidade e passagem de frentes frias, informou o CGE. A nova onda de ar polar vai passar pelo litoral do Estado no próximo sábado, 19 de setembro, e deve trazer um pouco mais de chuva para o sul e o leste do estado, incluindo a Grande São Paulo até o domingo, 20.

Fumaça

Imagens de satélite da terça-feira, 15 de setembro evidenciaram focos de calor, que é indicativo de queimadas, em diversos pontos do Estado de São Paulo. Estes focos aumentaram bastante desde o início de setembro e só no dia 13, pelo monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), foram contabilizados 538 focos de calor. No período de 1 a 14 de setembro São Paulo teve 1520 focos de calor, quase o dobro do que foi registrado durante todo o mês de setembro de 2019.

De acordo com informações do Climatempo, durante a quinta-feira, a chegada da frente fria ao litoral paulista vai mudar o fluxo de ventos no centro-sul do Brasil, direcionando no sentido do Mato Grosso do Sul para São Paulo. Isto vai fazer com que parte da fumaça do Pantanal seja transportada para São Paulo.

O aumento da cobertura de fumaça vai favorecer a maior interação deste material particulado com a luz do sol aumentando a chance de haver aqueles tons alaranjados, avermelhados, muito bonitos no pôr do sol em São Paulo. No entanto, o Estado não terá a visão do céu de São Francisco e de outras cidades da costa oeste dos Estados Unidos, onde a quantidade de fumaça é muito maior, explicou o Climatempo.

Dependendo da quantidade de fumaça que for transportada na quinta ou sexta para o Estado, não se deve descartar a chance de repetição do fenômeno da "chuva negra", semelhante ao que se viu em algumas cidades do Rio Grande do Sul no fim de semana passado, e também como a cidade de São Paulo registrou no ano passado, no dia 19 de agosto.

Além do estado de São Paulo, é possível que ocorra um aumento da camada de fumaça até a próxima sexta-feira sobre o áreas do estado do Rio de Janeiro, especialmente no centro-sul do Estado, incluindo a capital fluminense, sobre a região do centro-sul de Minas Gerais e do Triângulo Mineiro.

Veja também:

Flagrado com dinheiro na cueca, Chico Rodrigues pede afastamento do Senado por 90 dias
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade