PUBLICIDADE

Copacabana Palace é multado em R$ 15 mil após festa

Após a divulgação das imagens e vídeos da festa nas redes sociais, Vigilância Sanitária muda de ideia e penaliza o hotel

15 mai 2021 14h53
| atualizado às 19h54
ver comentários
Publicidade
Fachada do badalado hotel Copacabana Palace, no Rio
Fachada do badalado hotel Copacabana Palace, no Rio
Foto: Marcos Vidal / Futura Press

Uma festa no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, na noite dessa sexta-feira, 14, com a apresentação de artistas como Ludmilla, Gusttavo Lima, Mumuzinho, entre outros, foi alvo de fiscalização da Secretaria de Ordem Pública (Seop) e Vigilância Sanitária. Em um primeiro momento, a  Seop não registrou rnenhuma infração no momento da fiscalização, por volta das 23h.

"A Vigilância Sanitária fez uma notificação de vistoria, mas, no momento da fiscalização, não foi detectado nenhuma infração. Caso surjam evidências de descumprimento ao decreto vigente, as autuações podem ser feitas posteriormente", disse a Seop em nota.

De acordo com o órgão, o salão do Copacabana Palace comporta 2 mil pessoas e no momento da fiscalização havia 100, e todas de máscaras. Segundo postagens nas redes sociais, a festa chegou a reunir 500 pessoas e teria sido promovida por um bicheiro da cidade.

Festa foi criticada nas redes sociais

Pelo decreto da prefeitura, de 6 de maio, que flexibilizou algumas regras de prevenção contra a pandemia, apresentações artísticas podem ser realizadas, desde que mantenham o limite de 40% da capacidade total em lugares fechados, seja mantido o uso de máscaras e respeitado o distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas. O Rio de Janeiro registra mais de 300 mil casos de infecção e 25.194 mortos por covid-19. Assim como outros bairros da cidade, Copacabana é considerado de alto índice de transmissão, segundo o Painel Rio Covid-19 atualizado diariamente pela prefeitura carioca

Multa

A Vigilância Sanitária do município do Rio de Janeiro voltou atras em sua decisão e decidiu multar em mais de R$ 15 mil o hotel e interditar o espaço de festas por dez dias. A mudança se deu depois que a Vigilância analisou imagens do evento, divulgadas nas redes sociais. Foi constatado desobediência às medidas de proteção à vida estabelecidas na Resolução Conjunta SES/SMS-RJ 871/2021 e no Decreto 48.845/2021, em vigor até 20 de maio próximo.

Segundo nota da Seop, houve aglomeração generalizada em frente ao palco, caracterizando pista de dança, o que continua proibido. Além disso, os convidados não usavam máscara e não respeitavam o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre si. As imagens também evidenciaram aglomeração em fila de espera, na entrada do estabelecimento, e acesso desordenado ao local.

Com informações do Estadão Conteúdo.

Estadão
Publicidade
Publicidade