0

Complexo A. C. Camargo e cinco prédios de Rino Levi são tombados em SP

Arquiteto passa a ter ao menos 20 obras tombadas na cidade de São Paulo; novos imóveis preservados ficam na região central

14 set 2018
11h44
atualizado em 17/9/2018 às 09h38
  • separator
  • comentários

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo homologou nesta sexta-feira, 14, o tombamento de seis obras do arquiteto modernista Rino Levi. A decisão envolve cinco edifícios localizados na Avenida São João, no centro, e o Complexo Hospitalar A. C. Camargo, no bairro da Liberdade, também na área central da cidade.

Os seis projetos são datados dos anos 40. Ao todo, o arquiteto passa a ter ao menos 20 imóveis tombados na capital paulista, parte deles também protegida em nível estadual.

A decisão foi tomada março pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp), que, no mesmo período, aprovou o tombamento de mais de 70 imóveis modernistas, como a atual sede da Fundação Maria Luisa e Oscar Americano. Dentre elas, estava também o Antigo Laboratório Paulista, igualmente projetado por Levi, localizado na zona norte da capital paulista.

Conselho municipal de São Paulo tombou quatro prédios gêmeos de Rino Levi na esquina da Av. São João com a Rua Apa
Conselho municipal de São Paulo tombou quatro prédios gêmeos de Rino Levi na esquina da Av. São João com a Rua Apa
Foto: Reprodução/Google Street View / Estadão Conteúdo

Segundo o conselho, ainda faltava preservar exemplares da arquitetura hospitalar e residencial de Levi. Na resolução de tombamento, é ressaltado que ele foi titular de "um dos principais escritórios de arquitetura de São Paulo no século 20", o qual promoveu a "renovação e modernização na paisagem da cidade".

"O ineditismo arquitetônico apresentado nas obras elencadas, advindas da pesquisa dos programas de necessidades aliada à introdução dos princípios da arquitetura moderna, adequando-os à realidade paulistana daqueles anos, influenciando a produção arquitetônica daqueles anos e promovendo uma transformação na paisagem urbana paulistana", diz o texto.

Com a decisão, o Conjunto Hospitalar A. C. Camargo deverá preservar o formato e o tamanho atual dos blocos, mantendo as características das escadas e da fachada, o que inclui os espaços vazios entre as edificações.

Dentre os novos prédios tombados, quatro deles são "gêmeos" e estão localizados lado a lado na esquina da Avenida São João com a Rua Apa. Batizados de Oswaldo Porchat, Reynaldo Porchat, Barro Branco e Doze de Outubro, têm uma loja no térreo e sete apartamentos, um por andar. Em todos, deverão ser preservadas as características externas e das áreas comuns.

O tombamento ainda recai sobre o Edifício Trussardi, que fica na esquina da Avenida São João com a Rua Vitória, em frente à Praça Julio Mesquita. O imóvel tem espaço para três lojas no térreo e doze pavimentos de apartamentos, que deverão ter os elementos externos originais preservados.

Com a decisão, qualquer intervenção nos imóveis, o que inclui manutenção e pequenos reparos, deverá ser submetida à prévia análise e manifestação do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) e do Conpresp. No terreno de todos os imóveis, são permitidas apenas construções com altura máxima igual à do bem tombado.

Em nota, o A. C. Camargo Cancer Center declarou que "reconhece a importância histórica do trabalho do arquiteto Rino Levi" e que "está avaliando o impacto da decisão".

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade