PUBLICIDADE

Ciclone: Cidades gaúchas suspendem aulas da rede pública e fazem alerta para cuidados

Fenômeno pode gerar fortes rajadas de vento de mais de 100 km/h a partir da tarde desta terça-feira. Baixas temperaturas e chuva também são esperadas

17 mai 2022 - 12h23
Ver comentários

Diversos municípios gaúchos estão em estado de alerta com a chegada de um ciclone extratropical que pode gerar fortes rajadas de ventos de mais de 100 km/h a partir desta terça-feira, 17, principalmente no litoral e Lagoa dos Patos, zona sul. Baixas temperaturas e chuva também estão previstas em algumas regiões do Rio Grande do Sul.

Em Porto Alegre, as aulas da rede municipal estão suspensas nos turnos da tarde e noite desta terça-feira, 17. Segundo a prefeitura, ''a decisão se estende à rede conveniada e a medida foi tomada para preservar a segurança dos alunos e das equipes'', esclarece nota publicada no Twitter.

Em Canoas, na região metropolitana da capital, as escolas municipais de Educação Infantil e instituições conveniadas, os responsáveis estão orientados a buscar as crianças mais cedo. As aulas da Educação de Jovens e Adultos - EJA no período noturno também estão suspensas. A recomendação é válida também para as escolas particulares da cidade e a decisão seguirá sendo avaliada conforme a previsão climática e alertas da Defesa Civil Municipal.

Assim como Canoas, outras cidades da região metropolitana da capital como Eldorado do Sul, Guaíba, Cachoeirinha, Gravataí e Glorinha suspenderam as aulas entre esta terça, 17 e quarta-feira, dia 18, por conta da tempestade Yakecan.

Na cidade de Rio Grande, extremo Sul do Rio Grande do Sul, as aulas das escolas municipais foram canceladas preventivamente com a proximidade da tempestade, assim como na Universidade Federal do Rio Grande (Furg). Em Pelotas, São José do Norte e Mostardas a orientação das autoridades locais é a mesma: suspensão das classes.

Nesta segunda-feira, 16, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, realizou uma coletiva de imprensa com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para informar os cuidados que a população deve ter em relação ao ciclone. Entre as precauções, estão: evitar sair de casa durante a tempestade, buscar locais mais protegidos caso esteja na rua, desligar a energia da tomada e fechar a saída de gás do botijão.

''Pequenas ações são importantes na busca da autoproteção e da proteção comunitária. Em caso de emergência, acione a Defesa Civil no telefone 199 e os bombeiros no 193", ressaltou o diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) do MDR, Armin Braun.

Estadão
Publicidade
Publicidade