1 evento ao vivo

Ator de Chiquititas e pais são assassinados a tiros na zona sul de São Paulo

Jovem ficou conhecido por ter protagonizado o comercial do brócolis; pai da namorada é procurado sob suspeita de ter atirado contra a família do artista; ele tem passagens pela polícia

10 jun 2019
00h07
atualizado às 21h55
  • separator
  • 0
  • comentários

SÃO PAULO - Conhecido por protagonizar um comercial de sucesso e por atuar na novela Chiquititas, do SBT, o ator Rafael Henrique Miguel, de 22 anos, e os pais deles foram mortos a tiros em Pedreira, na zona sul de São Paulo. Eles tentavam conversar com a família da namorada do ator, para oficializar o relacionamento. Principal suspeito e dono de uma longa ficha corrida, o sogro Paulo Cupertino Matias, de 48 anos, está foragido.

Rafael começou a namorar com Isabela Tibcherani, de 18 anos, ainda no ano passado. Segundo familiares, no entanto, o casal acabou vivendo uma relação conturbada, se via pouco e era obrigado a sair escondido. O motivo era que Matias, descrito como "rude", não aprovava a relação. "O pai da Isabela é possessivo ao extremo. Ele não permitia, às vezes, que ela fosse à escola ou tivesse alguma amizade", disse Maria do Carmo Viana, prima do ator. "Era muito difícil, ela era muito vigiada."

Para tentar contornar a situação, o jovem tentou marcar uma conversa entre as famílias, diz Maria do Carmo. "Rafael queria mostrar para o pai dela que era um garoto de respeito."

Na TV, Rafael interpretou o personagem Paçoca, de Chiquititas, que esteve no ar entre 2013 e 2015. Ele ficou conhecido ainda antes, quando era criança, ao participar de um comercial. Nele, pedia para a mãe comprar brócolis e chicória.

Na tarde deste domingo, 9, Rafael e os pais João Alcisio Miguel, de 52, e Miriam Selma Miguel, de 50, foram até a casa de Isabela, localizada na Estrada do Alvarenga. Eles chegaram às 13h55 e foram recebidos no portão pela jovem e pela mãe dela.

Pouco depois, ainda do lado de fora, a família foi surpreendida por Matias, que apareceu armado. Sem falar nada, ele teria atirado contra os três e fugido logo em seguida, segundo a Polícia Civil. As vítimas morreram na hora e os corpos ficaram caídos na calçada.

De acordo com a investigação, Matias já tinha passagens por roubo e por furto, em ocorrências investigadas pela Delegacia de Roubo a Bancos em 1993, e chegou a ser preso em Santos. Em 2005, também respondeu a processo por agressão e ameaça. Atualmente, é proprietário de uma loja de peças de automóvel.

Matias deve responder por três homicídios qualificados, por motivo torpe. "Ao que tudo indica, a motivação do crime foi fútil: ele não aceitava o namoro da filha com a vítima", afirmou o delegado Fernando Bessa, titular da Equipe de Intervenção Estratégica da Seccional de Santo Amaro. A polícia não informou o tipo de arma usada no crime ou se o suspeito tinha autorização para portá-la.

Centenas de pessoas - entre parentes, amigos, colegas de trabalho e curiosos - acompanharam o sepultamento da família, realizado na tarde desta segunda-feira, 10, no Cemitério Campo Grande, na zona sul. Filas se formaram para acompanhar o velório e um princípio de empurra-empurra foi contido após os presentes puxarem uma ave-maria. A homenagem foi encerrada com uma salva de palmas.

A namorada de Rafael, Isabela, esteve no enterro e saiu por volta das 17 horas, amparada por amigos. Muito emocionada, fez um breve pronunciamento. "Ele salvou a minha vida. Os pais deles criaram um anjo, um príncipe", disse. Antes, ela havia feito publicação em rede social: "Só queríamos ser livres pra amar, sem medida".

Parte do elenco de Chiquititas também prestou homenagem no local. "O Rafa era muito prestativo. Por ser mais velho, sempre me dava conselho, parava qualquer coisa para me ajudar", disse o ator Gui Vieira, de 16 anos, que fazia o Binho.

Já Filipe Cavalcante, de 19 anos, o Rafa, contou que chegou a receber mensagens de pessoas que o confundiram por causa do nome do personagem e pensaram que ele havia sido a vítima do homicídio. "Ele era muito divertido e inteligente, adorava conversar", disse. "São esses momentos que vão ficar."

Porta-voz da família, Maria do Carmo pediu auxílio para saber o paradeiro de Matias. "Ele destruiu a família do Rafael e a própria filha." Rafael deixa duas irmãs, de 13 e de 26 anos.

Uma publicação compartilhada por Rafael Miguel (@rafaelmiguelreal) em

Na internet, fãs e internautas prestam homenagens a Rafael. Muito estão abalados com a notícia. "Muito triste em ver que a vida de um garoto jovem e de sua família foram tiradas de uma forma cruel pelo pai da própria namorada", escreveu um internauta. "A que ponto chega o ser humano de matar um jovem e seus pais porque ele era contra o namoro do garoto com a filha", disse outro.

O ator Rafael Miguel e a namorada Isabela.
O ator Rafael Miguel e a namorada Isabela.
Foto: Instagram/@rafaelmiguelreal / Estadão

'Só queríamos ser livres para amar'

Em uma publicação no Facebook, a jovem de 18 anos compartilhou imagens do último encontro que teve com o namorado: "E ontem a gente se reencontrou, depois de meses, apenas sonhando com esse momento, contando os segundos, os dias. E aconteceu. O melhor dia das nossas vidas, de longe. Dá pra ver pelo nosso olhar, nesse momento éramos só você e eu, em meio a todas aquelas pessoas, não tinha mais nada além de nós dois".

Em outro trecho do texto, Isabela relata o sofrimento que está vivendo, mas promete se lembrar do namorado para sempre: "Tá [sic] muito difícil de assimilar mas eu quero pensar em você como o homem iluminado que é, o homem que me orgulha, que me fez a mulher mais feliz do mundo. Lutamos juntos, até o final. Mas não é o fim, meu príncipe, jamais será. Eu vou honrar nossa história, vou realizar nossos sonhos, todos que eu puder! Eu jamais amei alguém como amo você. E jamais amarei outro", disse.

Na madrugada desta segunda-feira, 10, a jovem publicou mais mensagens em seu perfil na rede social. "Só queríamos ser livres pra amar, sem medida", escreveu em uma nova postagem. Em outra, pede respeito pelo momento de luto: "Peço, encarecidamente, que respeitem esse momento. Antes dele ser uma figura pública, ele era um ser humano. O ser humano mais maravilhoso que existiu. Atacar a mim e aos restantes familiares e amigos não vai trazer ninguém de volta. Tenham compaixão".

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade