PUBLICIDADE

Aluno autor de ataque em escola teria proferido xingamentos racistas e avisou nas redes o que faria, diz jornal

Adolescente teria postado no Twitter que realizaria o ataque na manhã desta segunda-feira, 27, e esperava matar ao menos uma pessoa

27 mar 2023 - 16h24
(atualizado às 16h29)
Compartilhar
Exibir comentários
Vídeo mostra professora imobilizando aluno para salvar vítima de ataque em escola
Vídeo mostra professora imobilizando aluno para salvar vítima de ataque em escola
Foto: Reprodução

O adolesente de 13 anos que matou uma professora a facadas e feriu outras quatro pessoas, nesta segunda-feira, 27, na Escola Estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia, em São Paulo, teria se envolvido em uma briga dias antes do ataque, e proferiu xingamentos racistas contra outro colega. De acordo com a Folha de S. Paulo, a informação foi passada por um aluno que também estuda no local. 

A briga teria ocorrido na última semana, logo após o autor dos ataques chamar um colega de “macaco” e “ratinho”. A professora Elisabete Tenreiro, de 71 anos, foi quem apartou a briga, junto do menino que presenciou a cena. A vítima foi a primeira a ser atingida pelo aluno, e acabou morrendo

Logo após o ocorrido, o agressor teria dito "vai ter volta", conforme esclareceu a testemunha. Ainda conforme a Folha, o adolescente teria dito a amigos que planejava um ataque, mas ninguém o levou a sério. 

Nas redes sociais, uma página no Twitter atribuída a ele, mostra postagens em que o garoto menciona que realizaria o ataque na manhã desta segunda. Em uma dos tweets, ele afirma ter aguardado por esse momento a "vida inteira”, e que esperava matar ao menos uma pessoa.

Ataque à faca em escola

Um aluno, de 13 anos, atacou à faca educadores e colegas dentro da Escola Estadual Thomazia Montoro, nesta segunda. O ataque deixou seis vítimas. Dentre elas estão quatro professoras - sendo que uma delas foi Elisabete, que veio a óbito - e dois alunos. Um desses estudantes não foi ferido, mas ficou em estado de choque após o ocorrido. 

Professoras imobilizam aluno para salvar vítima de ataque em escola de SP:

O menor agressor foi imobilizado por uma professora e depois apreendido pela Polícia Militar. Em seguida, o suspeito foi conduzido à delegacia. 

Nas redes sociais, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) lamentou a morte da educadora. "Muito pesar e tristeza com a notícia da morte da professora Elisabete Tenreiro, que não resistiu aos ferimentos causados pelo horror do ataque desta manhã. E meu muito obrigado à professora Cintía, que em uma ação heróica impediu que essa situação terrível fosse ainda mais grave", escreveu.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade