0

Bolsonaro pode usar fundão no combate à covid-19, diz Maia

9 abr 2020
10h05
atualizado às 12h53
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente Jair Bolsonaro tem a liberdade e a prerrogativa de usar os recursos do fundo eleitoral para combater a pandemia de coronavírus no País se entender que isso é necessário, disse nesta quinta-feira o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) em entrevista à Rádio Tupi, do Rio de Janeiro.

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto
11/02/2020 REUTERS/Adriano Machado
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto 11/02/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

De acordo com Maia, se Bolsonaro decidir recorrer ao dinheiro do fundo eleitoral, a questão sobre o financiamento das campanhas municipais será feito no momento em que chegar a eleição.

"É claro que o presidente, se ele entender que deve usar o dinheiro do fundo eleitoral, é óbvio que ele deve, pode e vai usar esse dinheiro. Agora, essa prerrogativa é dele e ele tem toda a liberdade", disse o presidente da Câmara.

"A nossa previsão é que o governo vai gastar 600, 700 bilhões de reais. Dentro desses recursos, estão todos os fundos. Certamente se o governo entender que ele precisa do fundo eleitoral, ele usa", acrescentou.

Maia também disse ser necessário aguardar até junho para saber se será necessário adiar a escolha de prefeitos e vereadores, marcada para outubro, mas se colocou contra deixar o pleito para o ano que vem, prorrogando os mandatos atuais.

"Todos esses fundos, cujos recursos estão parados e que não vão ser utilizados agora, é claro que o governo pode usar os recursos e na hora da eleição a gente discute como é que se resolve a eleição. A primeira prioridade é sempre resolver as vidas", assegurou.

Veja também: 

 

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade