PUBLICIDADE

Alerta para surto de Encefalomielite em equinos na região do Mercosul

Produtores gaúchos se mobilizam diante de casos na Argentina e Uruguai

4 dez 2023 - 13h10
Compartilhar
Exibir comentários

Produtores de equinos do Rio Grande do Sul estão em estado de alerta após a confirmação de um surto de Encefalomielite em equinos na Argentina e no Uruguai, conforme comunicado no dia 29 de novembro. Esta doença viral, que também pode afetar humanos e aves, é causada pelo Eastern Equine Encephalitis Virus (EEEV), um RNA vírus da família Togaviridae, transmitido por mosquitos.

Foto: Reprodução / Porto Alegre 24 horas

A doença afeta o sistema nervoso dos animais, apresentando sintomas como febre alta, falta de apetite, depressão, posição caída da cabeça em relação ao corpo, lábios flácidos, visão alterada, ataxia, parexia e, em estágios avançados, paralisia, levando à morte após convulsões. Até o momento, não há registros da doença no Rio Grande do Sul, mas a situação está sob monitoramento rigoroso pela Secretaria da Agricultura e pela Superintendência Regional do Ministério da Agricultura.

A prevenção é fundamental, pois a Encefalomielite não tem cura. A vacinação é a medida mais eficaz e deve seguir um calendário específico: aos 3, 4 e 6 meses de idade com reforço anual; para éguas, 30 dias antes do parto; e para cavalos adultos nunca vacinados, a primovacinação com duas doses intervaladas por 30 dias e, em seguida, reforço anual. Produtores estão sendo orientados a adotar estas medidas para proteger seus rebanhos e prevenir a propagação da doença.

Porto Alegre 24 horas
Compartilhar
Publicidade
Publicidade