PUBLICIDADE

Influenciadora denuncia assédio em voo: 'Tirou fotos minhas enquanto eu dormia'

Companhia responsável pelo voo informou que acionou a Polícia Federal após o pouso do avião no Aeroporto de Confins, em Minas Gerais

14 dez 2022 - 17h28
(atualizado em 15/12/2022 às 15h12)
Compartilhar
Exibir comentários
Influenciadora Anna Clara Rios denunciou, por meio das redes sociais, ter vivido uma situação de assédio durante um voo comercial
Influenciadora Anna Clara Rios denunciou, por meio das redes sociais, ter vivido uma situação de assédio durante um voo comercial
Foto: Reprodução/Instagram:@annaclararios

A influenciadora Anna Clara Rios denunciou nas redes sociais ter vivido uma situação de assédio durante um voo entre São Paulo e o Aeroporto de Confins, em Minas Gerais, nesta quarta-feira, 14. Ela relatou que foi fotografada sem o seu consentimento por um homem. A Polícia Federal foi acionada após o pouso do avião. 

Em seu perfil no Instagram, Anna postou um vídeo aparentando estar nervosa. "Estou me tremendo de ódio. Esse senhor aqui estava tirando fotos minhas enquanto eu dormia. Tiveram que me avisar, me mudar de lugar. Ele enviou para alguém [a foto]. Não faço a menor ideia de quem seja. Eu queria abrir um boletim de ocorrência, estou tremendo de ódio. Só não vou abrir porque não teve nenhuma testemunha. Inacreditável", afirmou ela. 

A influenciadora teve acesso e postou a foto tirada pelo homem, que foi enviada por ele pelo Whatsapp para alguém. Além do envio da foto, ele escreveu a seguinte mensagem: "Tô indo para  Brasília com esse avião atrás de mim". 

A influenciadora também teve acesso e postou a foto dela tirada pelo homem, que foi enviada por ele pelo WhatsApp para alguém
A influenciadora também teve acesso e postou a foto dela tirada pelo homem, que foi enviada por ele pelo WhatsApp para alguém
Foto: Reprodução/Instagram:@annaclararios

Em nota enviada ao Terra, a Azul informa que acionou a Polícia Federal imediatamente após o pouso do voo AD 2864 no Aeroporto de Confins, em Minas Gerais, e que a tripulação prestou assistência à cliente, desde a saída da aeronave até a Polícia Federal, onde a ocorrência foi registrada.

"A Azul lamenta o ocorrido, ressalta que repudia qualquer tipo de assédio e continua prestando a assistência necessária. A política da companhia é atender aos seus Clientes da melhor maneira possível, por meio de um serviço personalizado, com qualidade, eficiência, presteza e, principalmente, segurança", afirmou a companhia. 

Também por meio de nota, a Polícia Federal informou que foi acionada para o ocorrido e que o homem e a passageira foram levados para a Superintendência da PF, onde foram ouvidos e liberados. "O procedimento foi encaminhado para o setor responsável da PF para tomada das providências cabíveis", acrescentou.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade