PUBLICIDADE

Corpo de mulher é achado sem cabeça em bueiro; marido foi preso por suspeita de feminicídio

De acordo com a polícia, o suspeito, de 24 anos, confessou o crime e foi solicitada a prisão temporária junto à Justiça

27 out 2023 - 12h43
(atualizado às 14h51)
Compartilhar
Exibir comentários
Corpo da jovem de 27 anos foi encontrado em avançado estado de decomposição dentro da galeria pluvial
Corpo da jovem de 27 anos foi encontrado em avançado estado de decomposição dentro da galeria pluvial
Foto: Reprodução/Redes Sociais / Perfil Brasil

O corpo da jovem Maria Carolina Almeida Vieira, de 27 anos, foi encontrado dentro de um bueiro sem a cabeça, segundo confirmou a Polícia Militar de Santa Bárbara d'Oeste (SP). O marido da vítima foi preso por suspeita de feminicídio nesta quinta-feira (26).

O que é feminicídio? O que é feminicídio?

O corpo da jovem de 27 anos foi encontrado em avançado estado de decomposição dentro da galeria pluvial. Uma equipe de manutenção da rede de gás foi quem achou o corpo e acionou a polícia, segundo o Cidade Alerta (Record TV). A jovem estava desaparecida desde setembro.

É possível que a cabeça tenha se separado do corpo em razão do avançado estado de decomposição. A polícia vai tentar localizar a cabeça da vítima. Exames apontaram que a jovem foi morta por asfixia.

De acordo com a polícia, o suspeito, de 24 anos, confessou o crime e foi solicitada a prisão temporária junto à Justiça, segundo a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo). O homem teria dito aos agentes que matou a vítima com um golpe de mata-leão e jogou o corpo em um bueiro durante a madrugada, segundo o jornal O Liberal.

"A motivação do homicídio, segundo o marido, seria por traição por parte da vítima", disse o delegado Gabriel Toledo à emissora. O casal se conheceu em Aracaju, onde vivem os familiares da vítima, e residia na cidade de Santa Bárbara d'Oeste há um ano e meio. O caso foi registrado como feminicídio e ocultação de cadáver no 2º DP (Delegacia Policial) da cidade do interior paulista.

As mulheres que investigam feminicídios sem punição:
Perfil Brasil
Compartilhar
Publicidade
Publicidade