PUBLICIDADE

Advogado estima tempo de liberdade de Daniel Alves e cita 'divisão' na Espanha após soltura

Ex-jogador pagou fiança milionária e foi solto na última segunda-feira (25)

30 mar 2024 - 10h03
(atualizado em 1/4/2024 às 11h01)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Lance!

Solto na última segunda-feira (25), Daniel Alves ficará em liberdade provisória até o julgamento dos recursos do caso de agressão sexual em Barcelona, em 2022. Em papo com o Lance!, o advogado brasileiro Lucas Wenzel, que atua na Espanha, falou sobre o tempo estimado do ex-jogador fora da prisão.

"Não há de momento nenhuma previsão para julgamento dos recursos, mas se estima Daniel Alves passará um ou dois anos em liberdade, que é quanto tempo se estima que se levará para ter uma decisão final, tendo como base casos similares. Os recursos agora vão para o Tribunal Superior de Justiça da Catalunha e depois a decisão ainda poderá ser recorrido para o Tribunal Supremo", comentou.

Daniel Alves pagou fiança de cerca de R$ 5,4 milhões e terá que cumprir algumas regras, como não deixar o país, manter distância de no mínimo 1km da vítima e comparecer toda sexta-feira ao Tribunal de Barcelona. Wenzel comentou como a liberdade do ex-jogador foi recebida por advogados na Espanha.

"A advocacia espanhola aqui se divide um pouco. Consideram que sim, em casos similares, seria normal que fosse concedida liberdade provisória, uma vez que somente alguém é considerado culpado após o trânsito em julgado. Todavia, muitos apontam que realmente há um risco muito maior de fuga dadas as condições econômicas do atleta".

O Ministério Público da Espanha recorreu da decisão de liberdade provisória alegando o risco de fuga do ex-jogador. Na última terça-feira (26), Daniel Alves teria dado uma festa em casa para comemorar o aniversário do pai, com amigos e família. Wenzel encerrou comentando a possibilidade de mudança da pena do ex-atleta.

"Tanto o Ministério Público como a advogada da vítima requerem que a pena seja aumentada tendo em vista que consideram que não deveria ser aplicada a atenuante pelo pagamento da indenização. Já a defesa de Daniel Alves busca absolvição, considerando que houve consentimento. Aqui é preciso dizer que tudo acontecer", finalizou o fundador do escritório de advocacia Stargaze Holding.

Lance!
Compartilhar
Publicidade
Publicidade