PUBLICIDADE

Como é feita a animação de Gato de Botas 2

Filme da DreamWorks Animation mistura tecnologia 3D com desenho manual 2D e se assemelha à pinturas à óleo

1 fev 2023 - 10h08
Compartilhar
Exibir comentários
Gato de Botas 2: O Último Desejo combina técnicas de ponta para criar 'conto de fadas em movimento'
Gato de Botas 2: O Último Desejo combina técnicas de ponta para criar 'conto de fadas em movimento'
Foto: Universal / Divulgação

Em cartaz nos cinemas, Gato de Botas 2: O Último Pedido, da DreamWorks Animation, encanta crianças e adultos não somente pelo carismático protagonista interpretado por Antonio Banderas ou pelo antagonismo do brasileiro Wagner Moura, mas também por trazer um estilo de animação surpreendente, que se assemelha com uma pintura em movimento.

Quer conhecer outros jogadores, saber das últimas novidades dos games e ter acesso a brindes e campeonatos? Participe do nosso Discord!

O filme, que já arrecadou mais de US$ 330 milhões nas bilheterias , traz o Gato de Botas diante de uma situação complicada: o ousado felino descobre que sua paixão por aventura já lhe custou oito de suas nove vidas e, com apenas aquela que lhe resta, parte em uma jornada épica pela Floresta Negra para encontrar a Estrela dos Desejos, capaz de proporcionar o lendário Último Desejo e restaurar suas vidas novamente.

O filme traz um estilo de animação completamente diferente daquele visto há 11 anos que, nas palavras do diretor Joel Crawford, parece uma "pintura de conto de fadas", adotando uma técnica parecida com a de outro sucesso recente, Homem-Aranha no Aranhaverso, sobrepondo animação 3D com desenhos bidimensionais tradicionais. O longa com Miles Morales, Gwen Stacy e outros heróis-aranha levou um merecido Oscar de Melhor Animação em 2019.

Este não é um movimento tão recente, na verdade: em 2012, o diretor John Kahrs viu as artes de pré-produção de O Avião de Papel e se perguntou por que aqueles desenhos, que retratavam de forma tão bela os personagens do filme e algumas de suas cenas, precisavam servir apenas como inspiração para os visuais 3D realistas buscados na época. O resultado dessa ideia foi um curta-metragem encantador, que sem querer serviu como catalisador para uma tendência que busca diminuir a distância entre as artes conceituais daquilo que é visto na maioria dos filmes de animação. Confira:

Evolução da animação

Desde que surgiram em 1995 com Toy Story, as animações 3D revolucionaram e dominaram o cinema animado. A tecnologia por trás desses filmes evoluiu a um ponto que possibilitou uma espécie de realismo que, de certa forma, tira um pouco da magia dos filmes voltados para o público infantil. Por outro lado, essa mesma evolução tecnológica permitiu que os estúdios tivessem cada vez mais liberdade para trabalhar seus personagens de uma forma que os exageros antes vistos apenas nas animações 2D estivessem finalmente presentes.

Esses exageros representam a maior diferença entre os dois estilos. Nas animações 2D, principalmente nos animes orientais, é comum encontrarmos movimentos exagerados e distorcidos, com perspectivas próximas ao impossível. São elementos que, ao não se limitarem aos personagens e às possibilidades verossímeis deles, conferem uma dose de drama - e charme - aos filmes animados.

É isso que os filmes animados mais recentes, como Aranhaverso e Gato de Botas 2, tentam reproduzir ao combinar animação 3D com desenhos 2D tradicionais.

Como é feita a animação de Gato de Botas 2

Embora tenha um estilo diferente de Homem-Aranha no Aranhaverso, Gato de Botas 2 foi criado de forma semelhante. Primeiro, os estúdios trabalham nas animações 3D de todos os personagens e cenas através da já conhecida computação gráfica (CG), alcançando um resultado parecido com o encontrado na maioria das animações e reduzindo ao máximo a complexidade da imagem em levá-la ao realismo. 

Depois, uma equipe de artistas entra em cena, desenhando manualmente técnicas 2D sobre as animações criadas em CG, para dar um "toque humano" ao realismo do 3D. Em seguida, tudo isso ganha novamente um toque tecnológico, capaz de misturar os dois estilos de uma forma que a animação final ganhe movimentos suaves nas telonas.

Esse novo tipo de animação agrada produtores e espectadores e deve ditar o futuro do cinema animado por permitir escolhas artísticas diferentes para cada obra: Homem-Aranha buscava trazer os quadrinhos para as telonas; a série animada Arcane, vencedora em nove categorias do Annie Awards, o Oscar das animações, combinou diversos estilos de arte, desde néons até aquarelas e grafites, para criar algo único; e Gatos de Botas 2 consegue dar vida às pinturas à óleo.

Gato de Botas 2: O Último Desejo está em cartaz nos cinemas nacionais.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Publicidade