PUBLICIDADE

Jogamos: Synduality Echo of Ada mistura anime e mechas

Jogo de tiro e extração da Bandai Namco segue premissa de anime, mas sofre com conexão ruim

2 abr 2024 - 17h17
(atualizado às 18h08)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Synduality: Echo of Ada é um jogo futurista sobre robôs que vão explorar planetas e enfrentar criaturas hostis. Durante a beta, a jogatina foi atrapalhada por conta da má conexão nos servidores, apresentando um loop de jogabilidade repetitivo.
 Echo of Ada mistura anime e mecha numa terra destruída
Echo of Ada mistura anime e mecha numa terra destruída
Foto: Bandai Namco / Reprodução

Entre o dia 28 de março e 1º de abril, aconteceu um teste beta fechado de Synduality Echo of Ada, um dos próximos lançamentos da Bandai Namco. O Game On teve a oportunidade de experimentar tudo que a versão beta poderia oferecer, mas o saldo geral da experiência não foi dos mais animadores.

Eu vou ser sincero e dizer de uma vez: eu não conhecia a franquia Synduality. Aparentemente, existe um anime chamado Synduality: Noir, que funciona como complemento para os acontecimentos deste jogo.

Basicamente, em um futuro distante, a humanidade se resguarda em pequenas cidades, onde precisam coletar cristais preciosos para energizar equipamentos necessários da vida moderna. Para isso, as cidades dependem dos Drifters, um grupo de soldados que utilizam seus poderosos mechas para enfrentar os perigos do planeta.

Seja enfrentando a chuva tóxica ou lutando contra as criaturas hostis “Enders”, os Drifters são a fonte principal de sobrevivência no planeta. Essa premissa, que é compartilhada entre o anime, mangá e também no jogo, serve como base para todo o loop de jogabilidade repetitivo em Echo of Ada, e mesmo simples, parece o bastante para servir como pano de fundo para o jogo.

Mechas, anime e lag

No game, você se encontra colhendo os mesmos recursos e batalhando contra os mesmos inimigos do anime. Com a recompensa no final de cada expedição, você pode desbloquear melhorias para o personagem e para o mecha, seu inseparável robô gigante, e isto se repete várias e várias vezes.

Deu para notar que Echo of Ada é mais um jogo de extração, um gênero que está em alta nos últimos meses. Após escolher os itens que irão acompanhar o mecha, você é lançado em uma expedição para coletar novos cristais. Apesar de você utilizar um mecha, o combate é praticamente idêntico a qualquer outro jogo de tiro em terceira pessoa lançado nos últimos anos, e não apresenta nenhuma novidade.

Além das duas armas de fogo principais, você também pode utilizar uma habilidade especial, que também deve ser equipada antes de iniciar a partida. Essas habilidades têm diversas utilidades, desde a execução de golpes nos adversários até a desestabilização dos mechas de outros jogadores.

Na verdade, nenhum inimigo oferece um real desafio. Os Enders apresentam diversas formas, sendo a forma de um "lobo" a mais comum, mas todos podem ser abatidos facilmente à distância. As formas mais raras ajudam a melhorar o ritmo, mas ainda não é o suficiente para quebrar a repetição enraizada na jogabilidade.

Ada e seu mecha enfrentam hordas de criaturas Enders enquanto buscam recursos
Ada e seu mecha enfrentam hordas de criaturas Enders enquanto buscam recursos
Foto: Bandai Namco / Divulgação

É possível explorar o mapa, mas não é algo totalmente livre, visto que o seu robô tem uma bateria de apenas 15 minutos para cada partida. Caso você não extraia antes da bateria acabar, você irá perder tudo que foi coletado na expedição.

Infelizmente, por ser uma versão beta, a jogatina foi atrapalhada por conta da má conexão nos servidores - sem dúvida, uma das coisas que a Bandai Namco precisará aprimorar para o lançamento final. Echo of Ada é um jogo online, ou seja, além de lutar contra inimigos IA, você também terá que lidar contra outros jogadores. Por isso, toda vez que eu encontrava outro jogador, eu sentia o meu personagem teletransportar pelo cenário, tornando a experiência frustrante, mas engraçada.

Deixou a desejar

Synduality Echo of Ada me parece ser um jogo um pouco estranho. A premissa não me cativou, a jogabilidade é simples, e o gosto amargo deixado pela má conexão no teste beta é difícil de ser apagado. Mas, eu imagino que, quando o jogo for lançado oficialmente, a experiência possa se tornar algo melhor.

O título da Bandai Namco ainda não tem uma data de lançamento definida, mas estará disponível para PC, PlayStation 5 e Xbox Series X|S.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Publicidade