PUBLICIDADE

Ghost Trick: Phantom Detective é experiência única

Remake do game de DS da Capcom traz visuais encantadores, trilha sonora atmosférica e narrativa cativante

27 jun 2023 - 15h34
(atualizado às 16h04)
Compartilhar
Exibir comentários
Ghost Trick: Phantom Detective chega em 30 de junho para PC e consoles
Ghost Trick: Phantom Detective chega em 30 de junho para PC e consoles
Foto: Reprodução / Capcom

Ghost Trick: Phantom Detective é um jogo de aventura e quebra-cabeças desenvolvido pela Capcom e lançado originalmente em 2010 para o Nintendo DS. Criado pelo lendário Shu Takumi, da franquia Ace Attorney, o jogo oferece uma experiência cativante de investigação e mistério noir com um toque humorístico sensacional. 

Uma proposta original

Jogos de quebra-cabeças existem há décadas, mas nenhum é igual Ghost Trick. O jogo coloca os jogadores no papel de Sissel, um fantasma sem memórias que acorda do lado do seu próprio corpo, recém-assassinado. Com a ajuda de um espírito chamado Ray, Sissel descobre ter as habilidades de manipular objetos inanimados e de voltar até quatro minutos no tempo antes da morte de uma pessoa.

Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades, e Sissel descobre isso de maneira difícil. Apesar de ter o poder de salvar a vida de outras pessoas, ele não pode voltar no tempo para salvar a si. Além disso, quando a manhã chegar, o espírito de Sissel irá sumir, partindo para o descanso eterno. 

Ao perceber que uma moça de cabelo vermelho também foi assassinada no mesmo local que ele, Sissel resolve voltar no tempo para salva-lá. Assim, ele acaba entrando em um mistério maior do que imaginava, uma trama que acontece no período de uma só madrugada. A narrativa se desenrola de forma cativante, apresentando um equilíbrio perfeito entre mistério, humor e drama que mantém os jogadores intrigados e ansiosos.

Como um bom livro, os capítulos de Ghost Trick terminam em pontos altos, sempre dando um gostinho de “quero mais” para o jogador. Os personagens da trama são diversificados, com cada um tendo a sua própria personalidade e motivações, e não demora para cativar o jogador com suas histórias.

Desde a enigmática detetive Lynne até o peculiar cachorro Missile, cada personagem é cuidadosamente desenvolvido e desempenha um papel importante na história. Os diálogos são bem escritos e repletos de humor, proporcionando vários momentos divertidos e emocionantes ao longo da jornada.

Quebra-cabeças e humor

A habilidade de Sissel de possuir e manipular objetos oferece uma mecânica única para avançar na história. Vários personagens vão morrer durante a trama, mas a morte não significa nada para um fantasma que pode reverter o destino de qualquer pessoa. Então, ao voltar 4 minutos para antes da morte, o jogador precisa evitar que a pessoa vá para o outro lado utilizando os objetos que estão espalhados pelo cenário.

Esse processo envolve muita “tentativa e erro”. Ou seja, quase sempre o jogador irá falhar em salvar a pessoa pela primeira vez, mas o jogo permite que ele volte no tempo quantas vezes for necessário, o que gera inúmeros momentos engraçados.

Porém, é satisfatório quando finalmente se consegue completar cada quebra-cabeças. Os cenários vão ficando cada vez mais complicados conforme a história avança e em alguns momentos chegam até a "cansar mentalmente", mas o resultado é sempre muito divertido e recompensador, com mais exposição sobre a história e o mundo de Ghost Trick. 

Visual inspirado em quadrinhos

O estilo visual de Ghost Trick é único e encantador. Os gráficos são em 2D, com uma estética vibrante e detalhada, lembrando uma combinação de desenho animado e história em quadrinhos. Os personagens são expressivos e bem desenhados, com designs únicos que destoam em suas silhuetas. Os cenários, que é onde o jogador vai se manter focado durante os quebra-cabeças, são ricos e extremamente detalhistas, além de serem donos de cores vivas e muita personalidade. 

A única coisa que incomoda no jogo é a resolução da tela. Por ser uma remasterização de um jogo para portátil, os desenvolvedores precisaram criar um limite para que nada ficasse muito “esticado” e estranho. Por isso, duas barras verticais ficam presentes o tempo todo nos cantos da imagem - e eu particularmente achei isso bem irritante. Em contraponto, os modelos dos personagens e dos cenários estão impecáveis, já que todos receberam uma nova pintura e texturas HD.

A trilha sonora é outro destaque. Composta por Masakazu Sugimori, a música se adapta perfeitamente às diferentes situações e contribui para a atmosfera misteriosa e emocional do jogo. Cada faixa complementa a narrativa, aumentando a imersão dos jogadores e gerando diversas emoções. A trilha sonora foi totalmente remixada para o relançamento, que também traz a versão clássica para quem deseja um pouco mais de nostalgia.

Considerações

Ghost Trick: Phantom Detective - Nota: 9
Ghost Trick: Phantom Detective - Nota: 9
Foto: Reprodução

Ghost Trick: Phantom Detective é um jogo sensacional. Enquanto exclusivo de DS, ele não era muito acessível para o público geral, o que fez com que muitas pessoas não chegassem nem perto da franquia. 

As ideias utilizadas no jogo são ótimas, e tomara que a Capcom perceba o potencial de voltar para este mundo em uma potencial sequência, ainda mais agora que outras pessoas vão poder experimentar os poderes fantasmagóricos de Sissel. 

Ghost Trick: Phantom Detective chega em 30 de junho para PC e consoles.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Publicidade