PUBLICIDADE

Double Dragon Gaiden renova pancadaria com elementos roguelite

Novo jogo traz personagens clássicos com novo visual, mas poderia ser mais longo

31 jul 2023 - 13h54
Compartilhar
Exibir comentários
Rise of the Dragons traz irmãos Jimmy e Billy Lee de volta para a luta
Rise of the Dragons traz irmãos Jimmy e Billy Lee de volta para a luta
Foto: Secret Base / Divulgação

Um dos pilares dos jogos de pancadaria, Double Dragon já foi mais relevante e com o gênero passando por um renascimento nos últimos anos, tem tudo para voltar à velha forma. O jogo da Secret Base, subintitulado Rise of the Dragons, é um primeiro passo nessa direção.

Novos personagens

Na aventura lançada no final de julho para PC e consoles, os irmãos Jimmy e Billy Lee se juntam à Marian (que não tem nada de indefesa desta vez) e ao recém-chegado Tio Martin, para detonar as ruas infestadas de bandidos em um futuro próximo e pós-guerra nuclear, com a cidade tomada por gangues, praticantes de artes marciais e cultos esquisitos.

Cada personagem tem um estilo único de combate, até mesmo os irmãos Lee, com um especialista em chutes e o outro em socos, por exemplo. Marian usa pistolas e armas brancas, enquanto o Martin apela para a força bruta e um escudo antimotim para pacificar as ruas. É legal experimentar com todos e achar o que funciona melhor para seu estilo, pois eles não são exatamente equilibrados.

Pancadaria e Roguelite

Ao final de cada missão, o jogador 'compra' novas vantagens para os personagens
Ao final de cada missão, o jogador 'compra' novas vantagens para os personagens
Foto: Double Dragon Gaiden / Reprodução

É possível jogar todas as missões sozinho ou em dupla no modo cooperativo local. O suporte para partidas online virá em uma atualização posterior. O jogador sempre controla dois personagens, podendo alternar entre lees a qualquer momento - ou quando um dos dois fica sem pontos de vida. Dominar a troca é essencial para construir combos maiores, escapar de agarrões e manter os personagens vivos por mais tempo.

O combate funciona bem, mesmo que leve um tempo para se acostumar as animações e ao tempo dos combos. Há uma mecânica envolvendo nocautes especiais e itens de cura: sempre que você derruba três ou mais oponentes com um 'Special K.O.', ganha um hotdog, um hambúrguer ou um peru para recuperar pontos de vida. Administrar os grupos de inimigos para recuperar vida é a principal lição, principalmente durante as batalhas de chefe.

A maior novidade fica para os elementos roguelite: ao final de cada missão, você pode usar as moedas obtidas para comprar melhorias diversas que o game oferece, desde regeneração mais rápida do Super até aumento do dano de um tipo ou outro de golpe, passando por mais dinheiro ou as preciosas fichas. Elas são usadas para continuar a partida após um 'Game Over' ou para desbloquear mais personagens jogáveis e outros extras.

O maior problema de Double Dragon Gaiden é que o jogo é curto demais. São cinco missões apenas e mesmo que algumas sejam mais longas que as outras, com três ou mais estágios antes do chefe final, ainda é um jogo bem rápido de se completar, ainda mais depois de aprimorar um pouco os personagens.

Ainda assim, os estágios são bem bolados e contam com armadilhas e sub-chefes para quebrar a repetição. Além das ruas e metrôs cheios de pixações e dos dojos de artes marciais, há alguns cenários exóticos, sendo a pirâmide do ferro-velho o meu favorito.

Considerações

Double Dragon Gaiden - Nota 7
Double Dragon Gaiden - Nota 7
Foto: Game On / Divulgação

Rise of the Dragons é uma boa tentativa de revitalizar Double Dragon, uma franquia icônica dos anos 1980 e que marcou a infância de muitos jogadores. Poderia ser um pouco maior, até para aproveitar melhor suas novas mecânicas.

Double Dragon Gaiden: Rise of the Dragons está disponível para PC, PS4, PS5, Switch, Xbox One e Xbox Series X/S.

*A análise do jogo foi feita no Xbox Series X.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Publicidade