2 eventos ao vivo

Após fazer história, Sollys volta ao Brasil com troféu do Mundial

21 out 2012
09h26
atualizado em 22/10/2012 às 18h52

Após fazer história e conquistar o título do Mundial de Clubes, em Doha no Catar, o Sollys/Osasco desembarcou, na noite deste sábado, no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Trazendo o troféu na bagagem, o elenco festejou a conquista de um inédito título na história do clube. Pentacampeão brasileiro e Tetracampeão sul-americano, o Mundial de Clubes era a única taça que o time paulista não possuía. Até mesmo jogadoras campeãs olímpicas, tão acostumadas a subir no lugar mais alto do pódio, não disfarçaram a felicidade pela vitória.

"Estou muito feliz porque o Mundial era um dos objetivos nossos neste ano. Era um título inédito tanto para mim quanto para o time. Saímos com o dever cumprido e com a certeza que jogamos muito bem a competição. Hoje o Brasil é, sem dúvida, o melhor país quando o assunto é voleibol. O Brasil agora é o país do vôlei", declarou Sheilla, maior pontuadora e eleita a melhor jogadora do torneio.

Vice-campeão na edição de 2010 e terceiro colocado em 2011, o Sollys/Osasco se tornou a terceira equipe brasileira a vencer o Mundial de Clubes - o Sadia/São Paulo foi campeão em 1991, e o Leite Moça/Sorocaba subiu ao lugar mais alto do pódio em 1994.

"É uma sensação especial ser campeã mundial porque lutamos muito nestes três anos. No primeiro batemos na trave, mas ficamos em segundo. No ano passado tanto eu quanto as outras meninas da Seleção não puderam participar. Agora tenho esse título na minha carreira e isso é para a vida inteira", afirmou a capitã Jaqueline.

Peça importante na conquista brasileira em Londres, a central Adenízia ressaltou a importância da conquista do Sollys/Osasco para o fortalecimento do voleibol nacional:

"Esse era um título que o Brasil precisava. Depois do título olímpico precisávamos concretizar a força do nosso voleibol interno. Essa conquista é maravilhosa para Brasil e para o voleibol. A melhor coisa é que cada menina sabe da sua importância para o time. Isso foi importante para o Sollys/Nestlé ser a melhor equipe do mundo", disse a melhor bloqueadora da edição de 2011.

O título mundial é um reflexo dos investimentos que a equipe de Luizomar de Moura fez para a temporada 2012/2013. Após perder a americana Destinee Hooker, a comissão técnica foi atrás de duas campeãs olímpicas: Sheilla e Fernanda Garay, além de fechar um novo patrocínio, com a Asics - responsável pelo novo material esportivo do clube. Com 35 jogos de invencibilidade, a equipe laranja é a atual campeã da Superliga e do Sul-Americano.

Bicampeãs olímpicas, Shiella e Thaísa conquistaram o título mundial pela primeira vez
Bicampeãs olímpicas, Shiella e Thaísa conquistaram o título mundial pela primeira vez
Foto: Fabio Rubinato/AGF / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade