PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Meu time

Goleiro tem que jogar com os pés? Vanderlei terá dificuldade com Diniz? Técnico do Vasco explica

Novo comandante do time cruz-maltino projeta desenvolvimento do jogo com os pés do goleiro titular, assim como o de Santos, do Athlético-PR, titular no ouro olímpico em Tóquio

14 set 2021 09h04
| atualizado às 09h04
ver comentários
Publicidade

Quando atuava no Santos, o goleiro Vanderlei foi preterido pelo então treinador Jorge Sampaoli pela pouca capacidade de atuação com os pés. Acabou negociado e a fama de ruim no passe rasteiro pegou. O tempo passou e, agora no Vasco, o camisa 1 cometeu falha recente exatamente neste fundamento - contra o Brasil-RS. Dez dias depois, Fernando Diniz, conhecido pelo jogo de posse de bola, foi apresentado no Cruz-Maltino. Haverá mudança no gol? O novo técnico explicou.

Vanderlei vive momento de contestação como titular do gol do Vasco (Rafael Ribeiro/Vasco)
Vanderlei vive momento de contestação como titular do gol do Vasco (Rafael Ribeiro/Vasco)
Foto: Lance!

- O Santos, determinante para o outro olímpico, quando eu cheguei no Athlético-PR, me disseram que ele não jogaria comigo porque não jogava com os pés. E, com muito treino e trabalho, o Santos evoluiu muito e é notabilizado também por jogar com os os pés - analisou Diniz, emendando sobre uma análise geral que se faz dos goleiros e aos times que ele já comandou:

- A maioria das críticas feitas aos goleiros tem muito a ver com a dinâmica em campo e em como os jogadores se posicionam para jogar. Esse é um fato. Outro fato é que os meus times nunca são obrigados a sair jogando por baixo - decretou Fernando Diniz.

O treinador, então, orienta os jogadores a se movimentarem para dar opções a quem está com a bola, inclusive os goleiros. E garante que permite a todos, inclusive a quem joga de luvas, poder fazer lançamentos em vez de passes curtos.

- A dinâmica tem que facilitar. Se não estiver fácil e os jogadores não estiverem confortáveis, temos que sair com bola longa. Saímos daquele jeito (curto) para nos facilitar fazer gol no adversário, não para tomarmos gol. Vamos calibrar com o tempo e ver como a equipe vai evoluir. Estou bastante confiante de que todos eles vão melhorar com a rotina de treinamentos - projetou Diniz.

Lance!
Publicidade
Publicidade