PUBLICIDADE
Logo do

Vasco

Meu time

Em mais um revés, Vasco demonstra descontrole emocional e tem quatro derrotas em oito rodadas na Série B

Com expulsão no início e confusão no fim, Cruz-Maltino não suporta a pressão e perde para o Goiás. Cinco jogadores estão suspensos para o duelo contra o Confiança, no sábado

1 jul 2021 06h12
| atualizado às 07h02
ver comentários
Publicidade
Vasco ocupa a 9ª colocação com 10 pontos, cinco de distância para o G4 da Série B do Brasileirão (Divulgação/Goiás)
Vasco ocupa a 9ª colocação com 10 pontos, cinco de distância para o G4 da Série B do Brasileirão (Divulgação/Goiás)
Foto: Lance!

Com um a menos desde os cinco minutos, o Vasco foi derrotado para o Goiás, fora de casa, na Série B. No final da partida, uma confusão aconteceu à beira do campo, com mais uma expulsão para o clube de São Januário. Ao todo serão cinco desfalques por cartões na próxima rodada, e um certo descontrole emocional marcando este irregular início de campanha. Apesar disso, Cabo acredita que o time é equilibrado neste aspecto, e foi um jogo atípico.

O Vasco caiu para a 9ª posição e acumula quatro derrotas em oito rodadas É, atualmente, o time que mais perdeu ao lado de: Cruzeiro, Confiança, Brasil de Pelotas, Ponte Preta e Vitória. Os questionamentos sobre o trabalho de Cabo continuam e as oscilações incomodam. A equipe terá dois jogos em São Januário diante de Confiança e Sampaio Corrêa para tentar uma sequência de resultados positivos e enfim entrar no G4 antes de duelos diretos contra Náutico e Coritiba, os dois primeiros colocados.

Expulsão no início e confusão no fim

Logo aos dois minutos de jogo, Bruno Gomes, que retornava de suspensão, tomou amarelo. O que o Vasco não esperava era que três minutos depois, o volante chegasse atrasado e pisasse no tornozelo do adversário. Uma expulsão inacreditável, que fez o camisa 23 sair chorando do gramado. Essa foi a quarta da carreira do jovem, de 20 anos, e a segunda seguida na competição.

O desafio era suportar a pressão de jogar com menos um, e ter qualidade para em jogadas de contra-ataque levar algum perigo ao gol de Tadeu, que completou 100 jogos pelo Esmeraldino. De maneira inicial, os donos da casa não pressionaram, mas de forma natural avançaram e levaram perigo à meta do goleiro Vanderlei. O arqueiro teve trabalho e foi um dos melhores do Vasco na partida com boas defesas.

Do lado do Goiás, Elvis foi o jogador mais perigoso e em vários momentos finalizou. Na primeira etapa, o sistema defensivo do Gigante da Colina conseguiu suportar a pressão e tinha uma atuação segura. Na melhor chegada, Reynaldo cruzou na área, para o camisa 10 obrigar Vanderlei a fazer uma boa defesa. No primeiro tempo, o Esmeraldino teve mais posse de bola, 70%, e finalizou 10 vezes, contra apenas três do Vasco.

Bruno Gomes foi expulso aos cinco do 1º tempo (Divulgação/Goiás)
Bruno Gomes foi expulso aos cinco do 1º tempo (Divulgação/Goiás)
Foto: Lance!

Na volta do intervalo, Cabo fez duas mudanças ao colocar Léo Jabá e Michel em campo, mas logo perdeu Morato, lesionado. Porém, os donos da casa, que pecaram na criação na etapa inicial, continuavam pressionando e o Vasco chegando em lances esporádicos. Até que aos 35 minutos. Miguel Figueira acertou a trave de Vanderlei, e Everton Brito empurrou para o fundo da redes.

No fim, o Goiás ainda teve tempo para chegar mais uma vez com Everton Brito, mas Vanderlei fechou o gol. O árbitro Douglas Marques das Flores (SP) assinalou o apito final e uma confusão aconteceu à beira do campo. O saldo negativo para o Vasco não foi só em Goiânia, mas terá desdobramentos na próxima rodada. Além de Bruno Gomes e Juninho, expulsos, Léo Jabá, Morato e Galarza levaram o terceiro amarelo e desfalcam o time contra o Confiança (SE).

O camisa 10 foi expulso no banco, por reclamação, quando já havia sido substituído. MT, por sua vez, ficou inconformado e queria partir para cima do adversário. O destempero ainda aconteceu pós-jogo, já que o árbitro relatou na súmula que foi ofendido pelo diretor executivo de futebol do Cruz-Maltino, Alexandre Pássaro. Cabo necessita trabalhar esse lado psicológico, porém de acordo com a visão do treinador, o time é equilibrado e esse jogo foi atípico. No entanto, até aqui, já foram 23 amarelos e 2 vermelhos na competição.

Os questionamentos sobre o trabalho de Marcelo Cabo continuam e as oscilações dentro e fora de campo incomodam. O time terá dois jogos em São Januário diante de Confiança e Sampaio Corrêa para tentar uma sequência de resultados positivos e enfim entrar no G4 antes de duelos diretos contra Náutico e Coritiba, os dois primeiros colocados.

Lance!
Publicidade
Publicidade