0

Zé Pereira vai à final do IS Open São Paulo; Matos e Zormann são campeões

25 nov 2017
19h43
atualizado às 20h10
  • separator
  • comentários

O pernambucano José Pereira e o português Bernardo Saraiva decidem neste domingo, às 11h30 (de Brasília), o título do IS Open São Paulo, torneio ITF Future com US$ 15 mil em prêmios. O brasileiro busca seu 11º troféu de Future e Saraiva tenta conquistar um título inédito. O campeão da competição soma 18 pontos no ranking mundial e o vice-campeão, 10 pontos.

Cabeça de chave número 6, Zé Pereira derrotou neste sábado o amigo e parceiro de duplas, Alexandre Tsuchiya por 2 sets a 0, com parciais de 7/5 e 6/4. "A vitória de ontem (contra Daniel Dutra da Silva) me deu confiança no jogo de hoje. Não estava tão bem fisicamente, mas entrei focado para vencer. Amanhã é final e final se ganha, não se joga. Quero dar o melhor para sair vencedor", destacou Pereira.

Ele disputa sua 26ª decisão da carreira e primeira da temporada, marcada por sua volta ao circuito. O pernambucano de 26 anos passou por uma cirurgia no ombro há mais de um ano e voltou a competir somente em julho de 2017.

Na primeira semifinal da rodada, Bernardo Saraiva usou a experiência para vencer o pernambucano João Lucas Reis, de 17 anos por sets diretos, com parciais de 6/1 e 6/0 e alcançar a segunda decisão da carreira. "Pensei apenas no ponto a ponto, joguei com bolas profundas e comecei a ganhar confiança ao longo da partida. Estou me sentindo confiante para a final de amanhã", contou o português, graduado em International Business na Universidade de São Francisco, nos EUA . " Foi muito bom ter me formado antes de jogar o circuito profissional, recomendo a todos os tenistas. Agora jogo com menos pressão. Também evolui bastante no circuito universitário, que é muito competitivo", analisa o jogador de 24 anos.

O pernambucano Reis termina a sequência de Futures de Santos e São Paulo com sete pontos, garantindo um ranking próximo do 1050º e uma semana surpreendente, com sua primeira semifinal de torneio profissional. "Consegui jogar meu melhor tênis na maior parte do torneio. Hoje foi uma pena, não consegui lidar bem com a situação mentalmente. Mas também o mérito foi do meu adversário que não errou nenhuma bola. Agora entro em férias e começo o próximo ano no Australian Open juvenil. Ano que vem vou mesclar os torneios juvenis e profissionais já que vou ter um ranking que vai me ajudar a entrar nos torneios", analisou.

Matos e Zormann erguem quinto troféu juntos no IS Open São Paulo

O paulista Marcelo Zormann e o gaúcho Rafael Matos conquistaram o quinto título de duplas juntos em torneios da série Future neste sábado no IS Open São Paulo. Principais favoritos, os jovens tenistas derrotaram na final o santista Caio Silva e o catarinense Thales Turini por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (8-6), 5/7 e 10-8, e garantiram 18 pontos no ranking da ATP.

Nesta temporada, a parceria da nova geração venceu dois títulos, em Vigo e em Majadahonda, na Espanha. As demais conquistas ocorreram em 2015, em Bol, na Croácia e em Itajaí, cidade onde treinam. Além do sucesso no circuito Future, Zormann e Matos, de 21 anos, têm no currículo importantes conquistas de duplas em Grand Slams no juvenil: o paulista venceu o título de Wimbledon com Orlando Luz e o gaúcho foi vice-campeão do US Open ao lado de João Menezes. Este é o segundo título seguido de Zormann. Na semana passada, ele venceu com Orlandinho o IS Open Santos.

"É um prazer jogar ao lado do Zormann, fico muito a vontade. Este título nos dá confiança, ganhar jogo é sempre bom. Conseguimos treinar golpes específicos como saque devolução, voleio e conseguimos manter o ritmo de jogo, já que perdemos na primeira rodada de simples", analisou Matos, que possui 15 títulos de duplas.

"Matos é um grande parceiro dentro e fora das quadras, é um prazer estar jogando e viajando juntos. Também acho que a dupla ajuda a manter o foco na competição e o ritmo de jogo", afirma o paulista, dono de 12 troféus de duplas.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade