PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Flamengo mantém tabu diante do Palmeiras em jogo com apenas uma ressalva à arbitragem

Somando mais um empate, Abel Ferreira segue sem vencer o rubro-negro carioca em partidas pelo Campeonato Brasileiro

21 abr 2024 - 19h02
Compartilhar
Exibir comentários
Gustavo Gómez disputa a bola com Bruno Henrique em duelo no Allianz Parque
Gustavo Gómez disputa a bola com Bruno Henrique em duelo no Allianz Parque
Foto: Alexandre Schneider/Getty Images

Seguro e equilibrado na defesa, como Tite preza, o Flamengo mais uma vez sai do Allianz Parque sem perder para o Palmeiras. O tabu diante do rival paulista se mantém. Agora, são sete jogos seguidos de invencibilidade atuando nos domínios palmeirenses.

Desde 2017, o alviverde não vence o Flamengo como mandante, um dos poucos feitos que ainda faltam ao currículo de Abel Ferreira. Em 11 jogos neste período, o treinador português leva desvantagem no retrospecto enfrentando o rubro-negro: duas vitórias, cinco empates e quatro derrotas.

Abel levou o Palmeiras a campo novamente com três zagueiros, buscando fechar os espaços para os pontas do Flamengo. No entanto, pelo lado direito, Bruno Henrique levou ampla vantagem no duelo individual com Gustavo Gómez.

O zagueiro palmeirense cometeu quatro das 23 faltas do time de Abel na partida. Deveria, inclusive, ter levado cartão amarelo antes de parar uma arrancada de BH aos 24 do segundo tempo. Cinco minutos atrás, o paraguaio já havia atingido o atacante flamenguista pelas costas, em entrada passível de advertência. O árbitro Rodrigo Pereira de Lima marcou apenas falta.

Esta, por sinal, é a única ressalva ao apito no jogo. Depois de uma primeira rodada repleta de erros de arbitragem, o duelo envolvendo as duas equipes mais vitoriosas do futebol brasileiro nos últimos anos não contou com interferência negativa nem do árbitro principal nem do VAR, que só teve o trabalho de validar o impedimento de Aníbal Moreno em gol anulado por impedimento, corretamente assinalado pelo bandeirinha.

Se Bruno Henrique fez a diferença pelo Flamengo, não se pode dizer o mesmo de Endrick pelo Palmeiras. Na maior parte do jogo, o jovem craque ficou muito preso no lado esquerdo, ainda mais com a necessidade de intensa recomposição defensiva. Se soltou mais depois da entrada de Rony, no segundo tempo, mas sem conseguir levar vantagem sobre Ayrton Lucas na direita.

Tite bem que tentou deixar seu time mais fluido na entrada final, recorrendo ao farto arsenal do banco de reservas. Pedro, Gerson e De La Cruz elevaram a capacidade ofensiva do Flamengo, que, mesmo dosando a minutagem de seus principais jogadores, esteve mais próximo do gol e finalizou mais que o Palmeiras no segundo tempo.

Em um embate mais disputado que jogado, o empate refletiu bem o foco dividido das duas equipes, de olho nos confrontos complicados que têm pela frente. O Flamengo encara o Bolívar, na altitude de La Paz, e, na sequência, o Botafogo. Já o Palmeiras enfrenta o Independiente Del Valle, na altitude de Quito, e o São Paulo.

Clássicos e compromissos de Libertadores contribuíram para um jogo de ataques pouco incisivos no Allianz Parque. No fim das contas, melhor para o Flamengo, que continua invicto no Brasileirão e, em mais de seis anos, diante do Palmeiras. Já são 13 jogos sem perder para o rival em encontros válidos pela competição nacional.

Fonte: Breiller Pires Breiller Pires é jornalista esportivo e, além de ser colunista do Terra, é comentarista no canal ESPN Brasil. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade