PUBLICIDADE

Jogadores

Guga: se não fossem lesões, meu melhor estaria por vir

16 dez 2009 - 18h15
(atualizado às 18h37)
Compartilhar

O ex-tenista Gustavo Kuerten afirmou que poderia ter ido mais longe nas quadras, não fosse as frequentes lesões que o fizeram encerrar a carreira precocemente. Ex-número 1 do mundo e tricampeão de Roland Garros, Guga acha que a sua melhor fase ainda estaria por vir se seguisse tendo condições de atuar normalmente.

» Brasil tem primeiro representante no Top30 de cadeirantes

» CBT promete apoio às mulheres em 2010

Em entrevista ao portal Correio Braziliense, o ex-atleta que agora estuda Artes Cênicas em Florianópolis, lamentou as lesões que sofreu e, atualmente com 33 anos de idade, pensa que teria uma ótima sequência após a melhor fase da carreira, durante o ano de 2000, lamentando o insucesso nas cirurgias no quadril que realizou anos depois.

"Acho que foram sempre barreiras que não estavam traçadas. É claro que isso estipulou um novo limite para mim e dificultou uma série de desafios que não eram mais possíveis se não fosse por causa da minha lesão. Mas analisando friamente é óbvio que eu poderia estar jogando até hoje no circuito e os meus melhores anos ainda estariam por vir. Não tenho dúvida que o meu tênis iria melhorar muito pelo menos até o meus 30 ou 31 anos", avaliou Guga, que aproveitou para lamentar as revelações de Andre Agassi em sua polêmica biografia de que teria se dopado, flagrado pela ATP e perdoado pela entidade.

"Foi desagradável. Acho que para o tênis não beneficiou em nada. Foi constragedor até para quem está vinculado ao esporte como nós, atletas profissionais. Desvaloriza um pouco o esporte que a gente tanto zela. Ainda mais vindo do Agassi, que é um cara que é uma referência muito forte. Isso se torna desgostoso para o tênis. Principalmente a ATP. Me surpreendeu muito o jeito que a ATP lidou com a situação. Se ela está lá para defender os jogadores, acho que foi a pior coisa que ela poderia ter feito", sentenciou o brasileiro.

Guga foi campeão de Roland Garros nos anos de 1997, 2000 e 2001, sendo o número 1 do ranking da ATP por 43 semanas durante o ano de 2000. Foi, ainda, campeão de 20 títulos individuais até o ano de 2001. Depois, sofreu com lesões nas costas até se aposentar oficialmente, em 2008.

Gustavo Kuerten comenta sobre lesões na carreira
Gustavo Kuerten comenta sobre lesões na carreira
Foto: Allen Chahad / Terra
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra