0

Bruno Soares e Marcelo Melo vão jogar juntos no Rio Open

5 fev 2019
12h33
atualizado às 12h33
  • separator
  • comentários

Dois dos maiores nomes da história do tênis brasileiro, Marcelo Melo e Bruno Soares, disputarão juntos a sexta edição do Rio Open, que acontece de 16 a 24 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro. Os mineiros, campeões de sete Grand Slams no total, estão entre os destaques em line-up que também apresenta os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, bicampeões do torneio, além do brasileiro Marcelo Demoliner que jogará com o dinamarquês Frederik Nielsen.

Tanto o britânico Jamie Murray quanto o polonês Lukasz Kubot, respectivos parceiros de Soares e Melo no circuito, não poderão viajar nesta data, o que possibilitou a retomada da parceria semifinalista do torneio em 2016. "Foi uma boa coincidência nossos parceiros não conseguirem vir ao Brasil este ano. O Jamie estava programado para vir, mas teve um problema pessoal e não poderá estar no Rio. A torcida que sempre marca forte presença em nossos jogos terá novamente uma dupla brasileira para torcer e quem sabe dar uma força extra para a gente buscar o nosso primeiro título do Rio Open e o primeiro título do Brasil no torneio", disse Soares, campeão no início desta temporada em Sydney, na Austrália, com Murray.

Melo fez no último final de semana de Copa Davis a sua primeira apresentação desde que se recuperou da lesão muscular nas costas. O ex-número 1 do mundo tem boas expectativas para jogar ao lado de Soares, com quem soma 4 títulos na ATP. "Será um momento especial jogar mais uma vez o Rio Open com o Bruno. Tenho certeza que os torcedores ficarão felizes em poder nos ver jogando lado a lado mais uma vez", afirma o tenista, que foi finalista do torneio em 2014, em parceria com o espanhol David Marrero. Antes de embarcar para o Rio de Janeiro, Melo ainda disputará o ATP 500 de Roterdã, na Holanda, com Kubot.

"É um privilégio para o Rio Open, ter o Marcelo e o Bruno jogando juntos. Eles são os principais expoentes do tênis nacional no circuito, são campeões de sete Grand Slams e é uma rara oportunidade da torcida poder ver essa dupla em ação no Brasil," disse Luiz Carvalho, diretor do Rio Open.

Com o Brasil em busca do primeiro título no Rio Open, quem também disputará a competição é Marcelo Demoliner. O gaúcho, que conquistou seu primeiro título de ATP em 2018, virá ao Rio Open com seu novo parceiro de circuito, o dinamarquês Frederik Nielsen, campeão de Wimbledon em 2012.  Demoliner participou de todas as edições do torneio carioca, tendo como seu melhor resultado a semifinal em 2016, com o compatriota Thomaz Bellucci.

A chave também contará com os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, bicampeões do Rio Open. A dupla, que foi finalista no Australian Open em 2018 e o segundo melhor time da última temporada, volta ao Rio de Janeiro para tentar o tricampeonato no maior torneio de tênis da América do Sul. O espanhol Marc Lopez, campeão de Roland Garros em 2016 (com Feliciano Lopez) e medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (com Rafael Nadal), e o uruguaio Pablo Cuevas, campeão de Roland Garros em 2008 (com Luis Horna), completam os destaques da chave de duplas.

Além das 11 vagas anunciadas, outras cinco serão preenchidas, sendo duas on-site, outras duas por convites da organização e a última por meio do qualifying.

A sexta edição do maior torneio de tênis da América do Sul terá entre os seus destaques as presenças do austríaco Dominic Thiem, número 8 do mundo, do argentino Diego Schwartzman, atual campeão do Rio Open, do italiano Fabio Fognini, top 15 do ranking, além dos brasileiros Thiago Monteiro e Thiago Wild, ambos garantidos na chave principal, enquanto Rogério Dutra Silva e Thomaz Bellucci estão confirmados para a disputa no quali.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade