PUBLICIDADE

Bia Haddad destaca melhora com agressividade em quadra e mantém equilíbrio após conquistas no tênis

Tenista brasileira teve melhor ano da carreira, com conquistas importantes, e aproveitará férias até a próxima segunda-feira

6 jul 2022 - 17h03
(atualizado às 18h52)
Ver comentários
Publicidade

A tenista Bia Haddad tem sido uma potência em 2022, com as conquistas inéditas dos WTA de Nottingham e Birmingham e um desempenho consistente em quadra no melhor ano de sua carreira. Mais amadurecida após uma rotina desafiadora, Bia segue com os pés no chão. Se vive ótima fase nas quadras, sabe bem que, no passado recente, enfrentou uma suspensão por doping e sucessivas cirurgias, além de um tumor na mão esquerda. O equilíbrio mental é uma das chaves para os seus ótimos resultados.

"Eu já passei por momentos muito duros na minha história. Quando você tem equilíbrio na vitória, é mais fácil de conseguir isso também na derrota. Eu estou vivendo um momento muito bom. Daqui a três meses, não sei como vai ser. O que fica é o equilíbrio. Eu fico feliz mesmo é de proporcionar essa alegria à minha família, em especial, aos meus avós. Minha avó faz 89 anos agora no domingo e segue jogando tênis até hoje", disse Bia, que chegou ao Brasil da Europa nesta quarta-feira.

"É um momento especial e muito bacana. Essas oito semanas foram vividas da mesma forma como todas as outras do ano. Foram muito positivas. Em termos físicos, os resultados só estão saindo também porque estou bem nesse aspecto. Também foi importante o nível de convicção e concentração. Consegui durante os jogos suportar os momentos difíceis. Com esse trabalho, fiquei forte mentalmente".

Em abril, Bia Haddad ocupava a 65ª posição no ranking da WTA nas simples e, hoje, já pulou para a 28ª colocação. Nas duplas, é a 26ª. Mas os resultados vão melhorar na próxima semana, com a nova divulgação do ranking.

Nesta temporada, Bia começou com o título do WTA 500 de Sydney e o vice-campeonato do Australian Open, ambos nas duplas, se tornando apenas a 3ª brasileira da história a alcançar a final de um Grand Slam. Com atuações de alto nível, também venceu o WTA 125 Saint-Malo, mas foi vice em Paris para Claire Liu, além de ter sido semifinalista em Eastbourne e Monterrey. Nas duplas, foi campeã em Paris e em Nottingham, além de vice no Aberto da Austrália, em janeiro.

No caminho para os dois títulos, Bia venceu nomes como a grega Maria Sakkari, atual quinta no ranking, e as campeãs de Grand Slam Petra Kvitova e Simona Halep, além de ter emendado uma sequência de 12 partidas sem perder. No início deste mês, a brasileira encerrou sua participação nas quadras de Wimbledon com derrota nas duplas femininas e nas mistas, ambas nas oitavas de final.

Bia voltou a reforçar o trabalho do técnico Rafael Paciaroni pela evolução no seu jogo e melhora na agressividade em quadra. A ótima parceria entre os dois vem rendendo ótimos resultados. A brasileira sabe que o alto nível do circuito traz muitos desafios, mas projeta desempenhos mais expressivos nos principais torneios.

"Meu objetivo é conseguir em alto nível nos torneios maiores também, não somente nos menores. Minha expectativa para o Aberto dos EUA é a mesma de Wimbledon. Não passei da primeira rodada em Grand Slams, então penso em uma terceira rodada e, quem sabe, uma final".

As férias de Bia Haddad se encerram na próxima segunda-feira e a próxima parada será no WTA de San José, na Califórnia. A tenista brasileira também jogará em Toronto, no Canadá, e Cincinnati, nos Estados Unidos, antes da disputa do US Open. O foco para alcançar suas metas em quadra está claro. "Meus objetivos continuam os mesmos. É seguir cada vez mais com o jogo agressivo".

Estadão
Publicidade
Publicidade