PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Meu time

Luís Fabiano pede fim da crise contra Inter: "é ganhar ou ganhar"

23 jul 2013 18h37
| atualizado às 19h54
ver comentários
Publicidade
<p>Luís Fabiano teme que são Paulo entre na zona de rebaixamento mesmo se bater o Internacional</p>
Luís Fabiano teme que são Paulo entre na zona de rebaixamento mesmo se bater o Internacional
Foto: Bruno Santos / Terra

O São Paulo não venceu nenhum dos últimos dez jogos que disputou. A crise extrapolou o campo e se espalhou por todo o clube. Na tarde desta terça-feira, Luís Fabiano deu entrevista coletiva e definiu o duelo desta quarta-feira, contra o Internacional, às 21h, pelo Campeonato Brasileiro como decisivo para reverter a situação:

"Amanhã (quarta-feira) é o dia, é o proximo jogo. É praticamente a última chance, é ganhar ou ganhar. Não com desespero, mas é o recomeço, o primeio passo para voltar ao normal", disse.

Depois, Luís explicou melhor sua opinião: "falei última chance usando um termo meio maluco, até porque teremos muitos jogos pela frente. Mas a gente pode entrar na zona de rebaixamento nessa rodada, então é a última chance para não entrar", completou o camisa 9 são-paulino.

O time tricolor se encontra em uma situação delicada no Campeonato Brasileiro e ocupa a 16ª colocação com oito pontos, apenas um acima da zona de rebaixamento. Além de já ter um jogo a mais do que os concorrentes, o duelo com o Inter também será adiantado e deixará o São Paulo com dez partidas disputadas. A Ponte Preta, com sete pontos, jogou só sete vezes.

Luís Fabiano revelou que os jogadores conversaram entre eles e definiram que precisam de quatro pontos nos próximos dois jogos. Depois do Inter, a equipe enfrenta o Corinthians, domingo, no Pacaembu. Na sequência, a delegação viaja para um tour por Europa e Japão e há o receio de voltar na zona de rebaixamento.

"A gente conversa sim. Fizemos um número de quatro pontos nesses dois jogos para dar uma respirada. Não será a solução, mas temos que respirar. Vamos ficar com jogos a mais, e não queremos voltar na zona de rebaixamento. A viagem tem coisas contras e a favor. Ruim é o tempo de 12 horas. A parte boa é que vamos ficar juntos, pode ajudar e quem sabe ganhar do Bayern, que é a sensação, ajude também. Mas nossa preocupação não é o Bayern, e sim a situação no Brasileiro".

Fonte: Lancepress! Lancepress!
Publicidade
Publicidade