3 eventos ao vivo

Garotos são a base para o Brasileirão, diz capitão são-paulino Hudson

Volante, que atuou improvisado como lateral, mostra otimismo com a união entre mais velhos e garotada

22 abr 2019
04h41
atualizado às 04h41
  • separator
  • 0
  • comentários

A escalação de jogadores como Antony, Luan, Liziero e Igor Gomes entre os titulares do São Paulo, ao lado dos atletas mais experientes, representa o ponto de partida do São Paulo no Campeonato Brasileiro. A opinião é do volante Hudson, capitão da equipe na decisão diante do Corinthians.

"Tivemos uma grande colaboração dos mais jovens. Eles deram uma resposta boa nos momentos mais difíceis. Eles estão de parabéns. Nossa expectativa é manter essa base, juntar com a experiência dos outros atletas, e fazer um bom Campeonato Brasileiro", disse Hudson, que atuou improvisado como lateral-direito desde as quartas de final diante do Ituano.

O atacante Antony afirma que a equipe conseguiu fazer um jogo equilibrado. "Jogamos de igual para igual, saímos atrás e conseguimos a recuperação, mas aproveitaram a chance que tiveram", disse o autor do gol do São Paulo em Itaquera.

Os garotos começaram a ter maior importância na partida diante do São Caetano, pela última rodada da fase de grupos do Paulistão. O meio de campo tinha Luan, Antony e o estreante Igor Gomes, representantes da nova geração de talentos produzidos no CT de Cotia. O volante Liziero estava contundido, mas entrou no jogo seguinte.

Os quatro passaram de destaque da Copa São Paulo de Juniores e a titulares do time principal do São Paulo em apenas dois meses. Agora, depois de terem dado uma ajuda significativa para o time chegar à final, já estão na mira dos europeus. "A gente brigou o jogo todo. Somos um grupo forte, com jovens e mais velhos, que ainda vai dar alegria para a torcida", diz o zagueiro Arboleda.

O grupo é liderado por Antony, o mais habilidoso dos quatro e que se tornou referência para a dupla Cuca e Mancini. Embora tenha despontado há pouco, o canhoto que joga pela direita, se inspira em Messi e já começa a ter cartaz na Europa. O Ajax, semifinalista da Liga dos Campeões, está de olho nele. É o mesmo time que levou David Neres. Ontem, ele foi o atacante mais perigoso, mas esteve bem marcado. Aproveitou a única chance que teve.

Igor Gomes demorou um pouco mais para entrar no time principal. Ontem, ele teve atuação discreta e também ficou preso na marcação. Ele faz o estilo do armador clássico, que cadencia e clareia o jogo. Em sua estreia, ele fez os dois gols na vitória diante do Ituano. Foi o substituto de Hernanes.

Liziero ficou fora do jogo de ontem por causa de uma lesão na coxa esquerda. Quando soube que ficaria fora, ainda na véspera do primeiro jogo, ele chorou, como revelou o técnico Cuca. Ontem, esteve nos camarotes de Itaquera. Ele é o sinônimo da versatilidade por já ter atuado como volante, lateral-direito e até ponta na base.

Atleta menos badalado do quarteto, o volante Luan é o protetor da zaga, responsável pela marcação dos meias rivais. Teve influência direta na ascensão da equipe na fase final. Ontem, foi eficiente na etapa inicial, mas não conseguiu fechar todos os espaços no segundo tempo em Itaquera.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade