PUBLICIDADE

Neymar é multado em mais de R$ 16 milhões por infrações sobre a mansão de Mangaratiba

Foram constatadas dezenas de infrações ambientais com relação à construção de um lago artificial

3 jul 2023 - 18h37
Compartilhar
Exibir comentários
O jogador Neymar foi multado em mais de R$ 16 milhões
O jogador Neymar foi multado em mais de R$ 16 milhões
Foto: Reprodução/Twitter

O jogador Neymar foi multado, nesta segunda-feira, 3, em mais de R$ 16 milhões por infrações ambientais relacionadas às obras em sua mansão em Mangaratiba, no litoral sul do Rio de Janeiro. A Secretaria de Meio Ambiente do Município informou que foram aplicadas quatro multas ao jogador, por causa de irregularidades na construção de um lago artificial.

No parecer jurídico que determina as multas, foram constatadas dezenas de infrações que são descritas ao longo de 46 páginas. Dentre elas, ressaltam-se quatro:

  • Realização de obra passível de controle ambiental sem autorização;
  • Captação e desvio de água de rio sem autorização;
  • Movimentação de terras e supressão de vegetação sem autorização;
  • Descumprimento de embargo. 

Além de aplicar a multa, a Secretaria de Meio Ambiente também comunicou os fatos constatados ao Ministério Público, Polícia Civil, Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e demais órgãos de controle ambiental.

Entenda o caso

No dia 22 de junho, Neymar da Silva Santos, pai do jogador Neymar, se envolveu em uma confusão com agentes de fiscalização ambiental após não saber responder se a obra de construção de um lago artificial tinha licenciamento ambiental.

Na ocasião, o pai de Neymar chegou a receber ordem de prisão da secretária de Meio Ambiente de Mangaratiba, Shayenne Barreto. Ele, porém, não chegou a ser preso, tendo sido acalmado por assessores que pediram para que a prisão fosse reconsiderada.

Pai de Neymar recebe ordem de prisão após obra em mansão ser interditada no RJ:

No entanto, após a interdição da obra, o jogador Neymar ignorou a ordem da Prefeitura e mergulhou no lago em uma festa com amigos.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade