PUBLICIDADE

Marc Márquez comemora vitória em traçado horário após longo jejum: "Uma das metas"

Piloto da Honda já tinha vencido em Sachsenring e Austin, mas ainda buscava um bom resultado em um circuito onde a maioria das curvas fosse para a direita. Espanhol se mostrou surpreso com o ritmo de corrida no GP do Feito na Itália e da Emília-Romanha

27 out 2021 08h15
ver comentários
Publicidade
Pol Espargaró, Takeo Yokoyama e Marc Márquez comemoram pódio em Misano
Pol Espargaró, Takeo Yokoyama e Marc Márquez comemoram pódio em Misano
Foto: Repsol / Grande Prêmio

QUARTARARO DEIXA FALHAS PARA TRÁS E CONQUISTA TÍTULO INCONTESTÁVEL | GP às 10

Marc Márquez celebrou em Misano no domingo (24) a primeira vitória em um circuito horário depois de um jejum de 735 dias ― desde o GP do Japão de 2019. Além do fim do longo jejum, o piloto de Cervera celebrou a melhora no ritmo e a dobradinha com Pol Espargaró em Misano.

Na antepenúltima etapa da temporada 2021, Marc contou com um início forte e, depois de uma queda de Jack Miller, assumiu o segundo lugar. O hexacampeão, então, perseguiu Francesco Bagnaia por quase toda a disputa, mas passou para o comando com quatro voltas para o fim, quando o italiano caiu.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Marc Márquez venceu pela terceira vez no ano (Foto: Repsol)

O mais velho dos Márquez recebeu a bandeirada na ponta, 4s859 à frente do companheiro de equipe, com Enea Bastianini superando Fabio Quartararo para completar o pódio.

"Estou muito feliz, obviamente. Estou feliz por mim, pela equipe Repsol Honda, pois terminamos em primeiro e segundo", disse Márquez. "Isso é importante para todos na HRC, mas, especialmente, por termos vencido em um circuito horário", comentou.

"Esta era uma das minhas metas. Eu disse ainda na quinta-feira, na coletiva de imprensa, que eu gostaria de terminar no pódio aqui ou em Portimão. E nós vencemos uma corrida muito rápida", afirmou.

O irmão de Álex reconheceu que Bagnaia era mais rápido em Misano, mas comemorou a performance exibida. Além disso, Marc saiu satisfeito por ter vencido uma disputa em circunstâncias normais.

"A maneira como conseguimos controlar a corrida foi realmente boa. É verdade que Pecco era mais rápido do que nós e na volta em que eu desisti, ele estava forçando muito e foi aí que caiu. É uma coisa que acontece nas corridas, mas conseguimos ser rápidos e competitivos", opinou. "Estou especialmente feliz pelo ritmo de corrida. Para mim, vencer uma corrida flag-to-flag ou no molhado, é ok, é uma vitória, mas vencer uma corrida da maneira que fizemos, seguindo Pecco, que é realmente rápido nesta pista, em um circuito horário, é algo realmente bom e muito importante para mim", frisou.

A performance na classificação, porém, não foi igualmente boa, o que resultou em um sétimo lugar no grid de Misano. A largada, porém, foi um ponto alto do espanhol, que considera que avançou muito neste aspecto desde 2013, quando estreou.

"Um dos meus pontos fracos quando cheguei à MotoGP eram as minhas largadas, que agora são um dos meus pontos fortes. Neste ano, percebi que o ritmo de classificação não é um dos meus melhores pontos, meus pontos fortes, então eu comecei a focar muito nas largadas", explicou. "Larguei realmente bem e pulei de sétimo para terceiro na primeira volta, pois sabia que os dois pilotos da Ducati forçariam desde o início. De fato, quando vi a volta no início ― 1min32s, pensei: 'O que está acontecendo aqui?'. Pois ontem [no sábado] eu estava em dificuldade para fazer [1min]33s8. Mas hoje o feeling estava lá", encerrou.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 7 de novembro para o GP do Algarve, em Portimão. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade