0

Presidente do Grêmio se diz decepcionado com fala de Aranha

O goleiro Aranha voltou afirmar que viu "ódio" nas arquibancadas, após a derrota da Ponte

17 jul 2017
15h03
atualizado às 15h18
  • separator
  • comentários

Na Arena do Grêmio, a Ponte Preta foi derrotada por 3 a 1 na tarde do último domingo e Aranha, mais uma vez, foi personagem de polêmicas. Em 2014, quando defendia o Santos, o goleiro foi vítima de injúrias raciais por parte da torcida gremista. Desta vez, Aranha sofreu com vaias e voltou a reclamar da recepção dos torcedores gaúchos, o que não agradou a diretoria, que tenta passar uma borracha no ocorrido.

Aranha recebeu inúmeras vaias na Arena do Grêmio durante a partida contra a Ponte Preta (Foto:Divulgação/Site Oficial da Ponte Preta)
Aranha recebeu inúmeras vaias na Arena do Grêmio durante a partida contra a Ponte Preta (Foto:Divulgação/Site Oficial da Ponte Preta)
Foto: LANCE!

- Eles não esquecem aquele episódio. Eles são assim aqui. Principalmente na região do Sul do país, é sempre assim. Quando volto aqui, evito ao máximo olhar para a arquibancada, porque cada vez que olho para arquibancada, vejo ódio na cara das pessoas. Eles têm certeza que eu estou errado. É triste ver o conceito de vida que eles têm aqui - declarou o arqueiro após a partida.

Depois de ouvir a declaração do Camisa 1 da Ponte Preta, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, criticou a postura de Aranha, que reviveu um episódio que marcou negativamente a história do clube.

- (Fico) Decepcionado. A frase que mais marcou nesse episódio todo foi do (ex-) presidente (Fábio) Koff, de quando o Grêmio foi excluído: "Se essa condenação ajudar a reduzir o racismo, me dou por satisfeito". Aquilo passou para nós, morreu. Já pagamos caro, injustamente. Pagamos coletivamente por uma situação que, sinceramente, não era para tanto. Mas, da memória do torcedor não podemos apagar esse fato. É impossível. O torcedor também sente pelo clube, tanto quanto o dirigente. Apagar da memória aquele fato não foi. Houve uma encenação. Teve um clamor público de tal ordem que levou o Grêmio a condenação - relembrou o presidente gremista.

Em entrevista, Bolzan revelou que, para evitar problemas, houve uma mudança de postura dentro do clube e uma reunião foi realizada entre os dirigentes e integrantes das torcidas organizadas, onde foi pedido que evitassem cantar qualquer canção com o termo "macaco", que relembraria o episódio.

- O Grêmio trabalhou preventivamente sobre isso. Conversamos com as torcidas organizadas. Pedimos para não ter nenhuma manifestação. Nem aquele cântico. Foi pedido para não ser realizado. E não houve. Mas não se controla todos. O que houve foi uma reação, mas creio que não passou dos limites - disse o mandatário sobre as vaias que o goleiro recebeu durante a partida.

Após três anos, torcedores gremistas levaram para a arquibancada um cartaz de apoio ao goleiro com a mensagem " Aranha!! O tempo passa, mas a dor não! Novamente... perdão por tudo!!! Somos a verdadeira torcida do Grêmio! ". Porém, ao programa Troca de Passes , o arqueiro não voltou atrás nas críticas que tinha feito enquanto deixava o gramado, mas elogiou a intenção dos autores do cartaz.

- É uma bela intenção. Quem escreveu o cartaz, de cara você já vê que é uma pessoa diferente das outras que assistem ao jogo aqui. Infelizmente, o cartaz não reproduz a verdade. A maioria estava me vaiando, pegando no meu pé, e todo sabe o motivo. Por isso, a maioria das entrevistas que eu dei aqui não foram falando sobre o jogo. Fico feliz de ver as atitudes, porque é assim que começa. Tem que semear coisas boas - disse o goleiro.

A indignação do presidente com a declaração do jogador se dá por conta da grande repercussão do caso de injúria racial contra Aranha. Na época, sete torcedores foram identificados por agredirem verbalmente o goleiro e quatro foram processados. Além disso, o STJD puniu o Grêmio com a eliminação da Copa do Brasil de 2014.

Com a vitória por 3 a 1 sobre a Ponte Preta, o Grêmio se mantém na vice-liderança, com 28 pontos. Quatro à frente do Santos, que é o terceiro colocado. Por outro lado, a Ponte Preta perde uma posição, caindo para 16º e vai precisar brigar para não entrar na temida zona de rebaixamento.

Veja também

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade