0

Brasil supera EUA e é ouro na Ginástica Masculina por equipes

29 jul 2019
01h08
atualizado às 01h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Brasil conquistou mais um ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Na madrugada desta segunda-feira, a equipe formada por Arthur Zanetti, Arthur Nory, Caio Souza, Francisco Barretto e Luis Guilherme Porto conquistou o primeiro lugar do pódio na Ginástica Artística Masculina por equipes.

Além da medalha de ouro, o Brasil faturou ainda 12 vagas nas finais individuais (veja abaixo a lista completa). Além disso, o desempenho brasileiro ainda animou a equipe para o Mundial, que será disputado em outubro, na Alemanha.

Os 250,450 pontos dariam ao Brasil uma posição jamais conquistada no Mundial, a quinta colocação. Em Doha em 2018, os brasileiros fizeram 243,994 pontos no total e chegou perto da marca histórica. Falhas individuais acabaram custando ao país o resultado marcante e a equipe terminou em sétimo lugar.

Individual geral - Arthur Nory e Caio Souza

Solo - Arthur Nory e Arthur Zanetti

Cavalo com alças - Francisco Barretto

Argolas - Arthur Zanetti e Caio Souza

Salto - Luis Guilherme Porto

Barras paralelas - Caio Souza e Arthur Nory

Barra fixa - Arthur Nory e Francisco Barretto

A performance brasileira aparelho por aparelho

O time brasileiro iniciou a sua participação nas barras paralelas. Luis Porto abriu a série com uma boa participação, recebendo 13,050 pontos. Na sequência, foram três excelentes apresentações do Brasil. Arthur Nory fechou com 14,300 pontos, Caio Souza obteve 14.850 e Chico Barreto recebeu 14.000 pontos, totalizando 43.150 pontos para a equipe.

Na sequência foi a vez do Brasil se apresentar nas barras fixas, um dos pontos fortes do time. Luis teve uma apresentação sem muito brilho, com 11.500 pontos. Na sequência foi a vez de Arthur Nory, que sofreu uma queda. Os brasileiros, entretanto, reclamaram que a barra estava torta. Depois de uma checagem dos árbitros, Nory refez a sua apresentação e obteve um excelente 14.400. Caio tirou 13.850 pontos e Chico 14.050. Assim, o Brasil liderava com 85.450 pontos no total.

No solo, os ginastas brasileiros seguiram na liderança. Luis abriu a série e conseguiu 13.450 pontos. Na sequência, Caio tentou uma apresentação mais arriscada, sofreu uma queda, mas ainda assim obteve 12.700. O próximo foi Nory, que tirou 13.750 pontos e depois Zanetti estreou na prova, conquistando 13.650. O Brasil fechou a rodada com 126,300 pontos.

Em seguida, foi a vez dos brasileiros encararem o cavalo, o aparelho mais fraco da equipe. Ainda assim, o time seguiu na liderança com 176.85 pontos. Logo depois, foi a vez das argolas, em que Arthur Zanetti confirmou o favoritismo com uma apresentação impecável. O brasileiro obteve 15.000 pontos, a maior nota da competição até então. No total, depois das performances de todos os ginastas no aparelho, o Brasil totalizava 207.100 pontos.

O último aparelho foi o salto, e os brasileiros seguiram com uma ótima atuação. Nory abriu as apresentações com um belo 14.250, e em seguida Caio tirou 14.550. Zanetti teve 14.200, e Luis fechou com 14.300. Assim, o Brasil fechou na liderança da primeira subdivisão, com 250.450 pontos no total.

Veja também:

Diego Maradona: o adeus à lenda do futebol na Argentina e no mundo
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade