0

'Se ganho a Copa América, me aposento', brinca Scaloni ao abordar jejum argentino

Seleção da Argentina não conquista um título desde 1993, quando foi campeão do torneio continental

14 jun 2019
22h01
atualizado às 23h07
  • separator
  • 0
  • comentários

Lionel Scaloni demonstrou estar de bom humor, nesta sexta-feira, em Salvador, em sua primeira entrevista coletiva durante a Copa América. O treinador afirmou não sentir pressão pelo fato de a seleção argentina não conquistar um título importante desde 1993, justamente quando ganhou pela última vez o torneio continental. Mas brincou ao ser questionado pelo que faria se conquistasse o título no Brasil.

"Se ganho a Copa América, me aposento. Não trabalho mais", disse o treinador, que garantiu grande motivação por parte de Messi para participar da competição continental. "Eu resgato o meu desejo de trabalhar no futebol, ao ver a vontade dele de jogar futebol. Ele nasceu para vencer. Para nós é uma alegria enorme vê-lo com esta vontade. Nós só temos palavras positivas para ele", disse Scaloni, que confirmou a escalação da equipe para a estreia deste sábado, diante da Colômbia, às 19 horas, na Arena Fonte Nova.

Armani, Saravia, Otamendi, Pezzella, Tagliafico, Guido Rodríguez, Paredes, Lo Celso e Di María; Messi e Agüero. Este é o "onze" argentino para iniciar a disputa da Copa América. "O importante é que a torcida se identifique com o time e tenha orgulho dele", afirmou o treinador. "Se cada um fizer o que faz no clube, teremos uma boa equipe. Pedimos a todos muita mobilidade e trabalho com a bola, jogar o mais rápido possível para causar dano ao adversário. Pode ser 4-3-3, 4-2-3-1, 4-1-4-1... Podemos variar muito. São jogadores versáteis e isso é importante."

Scaloni confia na experiência do grupo que tem nas mãos. "Somos uma equipe em que todos têm que trabalhar, todos sabem o que têm que fazer em campo. É preciso solidez não só para defender, mas também no meio para que não nos ataquem, não tenham a bola. Na frente temos jogadores que podem decidir."

O treinador, de apenas 41 anos, aproveitou para fazer uma análise do período em que esteve concentrado com os jogadores na preparação para a Copa América. "Tivemos grandes dias juntos, a convivência foi espetacular, e esperamos que esses garotos desfrutem o momento. Essa seleção chegou na final das duas últimas Copas Américas, não é pouco, quase ganhamos. Estamos aqui para mostrar que esses jogadores podem usar essa camisa, mas o resultado depende de muita coisa."

A Argentina está no Grupo B do torneio continental. Depois do jogo com a Colômbia, os argentinos vão enfrentar o Paraguai, na quarta-feira, no Mineirão, em Belo Horizonte. O último duelo da fase de grupos está marcado para dia 23, contra o Catar, na Arena Grêmio, em Porto Alegre.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade