2 eventos ao vivo

Palmeiras reinventa seu ataque sem Dudu

Principal atacante da equipe está suspenso e Willian é dúvida para jogo com o Atlético-MG no Independência

11 nov 2018
05h10
atualizado às 05h10
  • separator
  • comentários

O Palmeiras vai a Belo Horizonte enfrentar o Atlético-MG sem seu principal atacantes - Dudu - e com dúvidas sobre a escalação de Willian. O primeiro é o melhor jogador do time, mas está suspenso; o segundo, atleta que mais finalizou no Brasileirão, recupera-se de lesão muscular. Isso significa que o eficiente ataque do time, que já fez 51 gols no torneio, vai jogar 'remendado' em Minas. Faltando seis rodadas, a equipe lidera o torneio com cinco pontos de vantagem para o Inter.

Para substituir essas peças fundamentais do ataque, Felipão pensa em Lucas Lima, Guerra e Scarpa. Independentemente de quem seja escolhido entre os três, o time vai mudar suas características, pois todos são meias. O Palmeiras será mais cadenciado, deve tocar mais a bola e vai perder as jogadas de velocidade pelos lados do campo, uma das principais características do líder na competição.

Nesse novo jeito de jogar que o Palmeiras deve mostrar em Minas Gerais, as cobranças de falta vão ganhar importância. Felipão quer mais gols em cobranças diretas, exatamente como aconteceu diante do Santos, no último sábado. O treinador vem estimulando jogadores como Lucas Lima, Gustavo Scarpa, Dudu e Victor Luis a treinarem a jogada. As estatísticas do time são magérrimas nesse quesito. Dos 51 gols marcados no Brasileirão, apenas três foram anotados em cobranças diretas. Os cruzamentos na área também serão valorizados.

Um exemplo: o time já fez dez gols após cobranças de escanteios. Se optar por manter a jogada de velocidade pelo lado, Felipão pode adaptar Deyverson ou tentar acelerar o retorno de Willian, que treinou na sexta-feira, mas ainda não está totalmente pronto após lesão sofrida no jogo de volta diante do Boca Juniors pela Libertadores.

O cenário evidencia uma das poucas carências do diversificado elenco palmeirense: faltam jogadores de velocidade.

Os números mostram como os dois são importantes. Scolari não abriu mão de ter pelo menos um deles durante a maratona dos últimos meses. Mesmo quando não começaram como titulares, Dudu e Willian entraram para reforçar os times alternativos escalados no Brasileiro.

Em recuperação de uma lesão muscular, Willian é o jogador com mais atuações pelo clube na temporada: 63 em 71 jogos, o que representa ter participado de 88% das partidas. Ele é o palmeirense que mais arremata a gol (53 chutes). Dudu já atuou 61 vezes no ano, seu recorde desde que chegou ao clube.

DECISÃO

A partida é considerada fundamental pela comissão técnica no jogo de xadrez para a conquista do título. Embora esteja em má fase, o time mineiro é apontado como o mais forte até o fim do torneio. É o último rival do Palmeiras no G-6. Depois de hoje, a equipe vai enfrentar Fluminense, Paraná, América-MG, Vasco e Vitória - os quatro últimos correm risco de rebaixamento. "Vamos pegar equipes com sua importância e qualidade e sabemos que será difícil porque o campeonato está embolado. Ainda bem, porque não deixa a gente pisar no freio, só pisamos no acelerador para darmos o máximo", disse o lateral Victor Luis, autor do gol da vitória sobre o Santos.

Para diminuir os riscos de uma eventual aproximação dos rivais, Felipão quer garantir o título rapidamente. A torcida, mais empolgada que os atletas, vive uma espécie de contagem regressiva. Esse entusiasmo pode ser medido pela venda de ingressos. O jogo diante do Fluminense, pela 34.ª rodada, marcado para o dia 14, tinha 29 mil ingressos vendidos até sexta.

Com Felipão, líder defende série invicta de 17 jogos

O Palmeiras não perde há 17 jogos no Campeonato Brasileiro. São duas partidas a menos do que o recordista da era dos pontos corridos, o Corinthians de 2017, que permaneceu 19 jogos - um turno - sem ser derrotado. Foram 14 vitórias e cinco empates. Após o jogo de hoje, o time terá pela frente Flu (casa), Paraná (fora), América-MG (casa), Vasco (fora) e Vitória (casa).

A última derrota do Palmeiras foi em 25 de julho, quando o técnico Roger Machado acabou demitido após perder por 1 a 0 para o Fluminense, no Maracanã.

O time de Felipão já está a um jogo de igualar Atlético-PR e São Paulo, que ficaram 18 rodadas invictos em 2004 e 2008, respectivamente, no Brasileirão.

Os maiores períodos de invencibilidade do Palmeiras aconteceram antes da era dos pontos corridos no Nacional. Entre 1972 e 1973, o time passou 26 jogos sem perder. Em 1994, a sequência chegou a 24 partidas. Três anos mais tarde, em sua primeira passagem pelo Palmeiras, Felipão atingiu 18 partidas consecutivas sem ser derrotado.

Para conseguir manter a invencibilidade em Minas Gerais, o time palmeirenses terá de superar um tabu: nunca ter vencido o Atlético-MG no estádio Independência. "Esse é um objetivo a mais (superar o tabu), mas não pensamos nisso na hora da partida", avaliou o volante Jean.

Neste ano, o Palmeiras encerrou o jejum de vitórias de 16 anos diante do São Paulo no Morumbi.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade