PUBLICIDADE

No futebol brasileiro é todo mundo xingando todo mundo

Baixaria contaminou o ambiente do esporte mais popular do País

20 abr 2022 - 10h55
(atualizado às 10h57)
Compartilhar
Exibir comentários
Gabigol. o atacante do Flamengo
Gabigol. o atacante do Flamengo
Foto: Daniel Brasil / Gazeta Press

Dias atrás, o ex-lateral Fábio Aurélio disse que Neymar decepcionou ao não ganhar até hoje nenhuma Bola de Ouro. Em resposta, o craque do PSG, chamado de otário por Galvão Bueno em outubro do ano passado, desabafou: “Cansado desses ex-jogadores pra falar merda.”

Já no início desta semana, Luizão, campeão do mundo em 2002, referiu-se a Vinicius Junior, do Real Madrid e da Seleção brasileira, como “burro”, durante o podcast “Reis da Resenha”, da Rádio Jovem Pan. “É burro, não sabe tirar a bola do goleiro, não sabe fazer gol.”

Outra treta que tomou conta do noticiário envolveu o apresentador de TV Neto e Deyverson, do Palmeiras. No ar, pela Band, em março, Neto falou que o jogador é um “babaca”, revoltado com o fato de Deyverson lhe ter mostrado o dedo médio durante uma live que fazia com o goleiro Jaílson, atualmente no América-MG.

Gabigol também não foge à regra dessas baixarias. No final de fevereiro, ao desperdiçar um gol em jogo com o Resende pelo Carioca, torcedores que estavam no Engenhão o vaiaram. Ele então retrucou com gestos irônicos e desencadeou um coro de xingamento contra si.

Dias depois, Gabigol passeava com amigos num shopping da zona sul do Rio e não gostou de ver um fotógrafo registrando seu dia de folga. Seus parças e ele próprio então se voltaram para o fotógrafo com palavras pouco amistosas: “arrombado, filho da p***”. O clima ficou pesado e por pouco não houve agressão física.

O xingamento da torcida aos árbitros e treinadores é uma rotina do futebol, mas parece que aumenta a cada semana. Só em 2022, Abel Braga, do Fluminense, já viveu isso algumas vezes. A última foi nessa terça (20), no Maracanã. O time perdia por 2 a 0 para o Vila Nova-GO, pela Copa do Brasil, e das arquibancadas podia-se ouvir o cântico ofensivo: “Abel, vai tomar no c*”. Depois, com a virada no placar para 3 a 2, o técnico recebeu aplausos.

Papo de Arena Todo o conteúdo (textos, fotos, ilustrações, áudios, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. 
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade