1 evento ao vivo

Copa da Rússia

Blatter renuncia à presidência da Fifa e convoca eleições

Valeriano di Domenico / AFP

Em pronunciamento na sede da Fifa, Blatter afirmou que convocará um novo congresso para a escolha de um sucessor para o cargo

2 jun 2015
13h51
atualizado às 16h16
  • separator
  • 0
  • comentários

Quase uma semana após as primeiras prisões na Suíça, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, renunciou ao cargo nesta terça-feira em pronunciamento na sede da entidade. Mandatário da entidade desde 1998, o chefe maior do futebol mundial foi eleito na última sexta-feira para um quinto mandato, mas, poucos dias depois, anunciou que convocará um novo congresso, que deve ser realizado entre dezembro e março, para eleger outra pessoa para o cargo. 

"Esses anos foram muito ligados à Fifa. Eu aprecio e amo a Fifa mais que tudo, e só quero fazer o melhor para o futebol e para a Fifa como instituição. Fifa precisa de uma reestruturação profunda. Enquanto eu tenho o apoio dos membros da Fifa, sinto que não tenho do resto do mundo do futebol. É por isso que vou reunir um congresso extraordinário e colocar meu cargo à disposição, será decidido o novo presidente. Um congresso o mais rápido possível para eleger meu sucessor", anunciou Blatter em entrevista convocada na sede da entidade. 

A saída do presidente contrasta com a manifestação de força que Blatter exaltou após a eleição da última sexta-feira. À época, o mandatário afirmou que não tinha medo de ser preso e mostrou tranquilidade com as investigações feitas pela Justiça dos Estados Unidos. A entrevista desta terça foi marcada com a expectativa de que fosse uma declaração de defesa de Valcke após as últimas denúncias, mas culminou com a renúncia do suíço.

Na última quarta-feira, o escândalo de corrupção foi deflagrado com a prisão de sete membros do alto escalão da Fifa em um hotel de luxo na Suíça, inclusive José Maria Marin, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A Justiça americana ficou mais próxima de chegar a Blatter após a divulgação pelo New York Times na última segunda-feira de que o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, estaria envolvido em um pagamento de propina. Valcke é o braço direito do mandatário na entidade. 

Joseph Blatter anunciou renúncia em pronunciamento na sede da Fifa
Joseph Blatter anunciou renúncia em pronunciamento na sede da Fifa
Foto: Ennio Leanza / EFE

"Não temos controle sobre os membros das confederações, mas suas ações são de responsabilidade da Fifa, Por isso precisamos de uma reestruturação, O tamanho do comitê executivo tem que ser revisto. Gostaria de agradecer todos que sempre me apoiaram em uma maneira leal e contrutiva e que fizeram muito pelo futebol. Eu repito: o que mais vale para mim é a instituição Fifa e o futebol ao redor do mundo", discursou Blatter. 

Ironicamente, o presidente ainda defendeu em seu pronunciamento que os mandatos, tanto do presidente quanto dos membros do congresso executivo, sejam restringidos na Fifa - isso dias após ganhar eleição para um quinto mandato. 

A renúncia do presidente, contudo, não se aplicará imeditamente: Joseph Blatter ficará no poder até a passagem do bastão para o sucessor. De acordo com Domenico Scala, que será o responsável pelos trâmites das novas eleições, um congresso extraordinário será convocado para os próximos meses. 

Cadeira de Blatter será ocupada por uma nova pessoa após congresso
Cadeira de Blatter será ocupada por uma nova pessoa após congresso
Foto: Ennio Leanza / EFE

"A eleição do presidente e qualquer reforma fundamental precisa ser votada pelos membros do congresso da Fifa. O próximo congresso é em maio de 2016, na Cidade do México. Isso seria uma demora desnecessária. O presidente vai pedir ao comitê executivo um congresso extraordinário. O comitê executivo é que vai decidir, pode acontecer entre dezembro deste ano e março do próximo ano", explicou Scala. 

Blatter deixa o poder marcado pelo escândalo de corrupção, que envolve compra de votos e diversas irregularidades acusadas pela Justiça dos Estados Unidos. Nos últimos dias, a Uefa retirou o apoio ao mandatário e até ameaçou uma Copa do Mundo alternativa em 2018 como forma de pressão. 

Entenda a pressão sobre Blatter

A quarta reeleição de Joseph Blatter aconteceu em um dos momentos mais cruciais da história do futebol. Desde 1998, quando assumiu a presidência da Fifa, o suíço nunca havia corrido tantos riscos de perder o cargo como agora. Isto porque a prisão de cinco executivos e sete dirigentes da entidade na última quarta-feira, em Zurique, ajudou a arranhar ainda mais a já desgastada imagem do mandatário de 79 anos.

Joseph Blatter deixa a Fifa após 17 anos
Joseph Blatter deixa a Fifa após 17 anos
Foto: Philipp Schmidli / Getty Images

A operação do FBI, feita em conjunto com a polícia suíça, expôs casos de corrupção, extorsão, escândalos de irregularidades em contratos de direitos de televisão e pagamentos de propina no processo de escolha das sedes das Copa do Mundo de 2018 e de 2022. Blatter ainda não teve o seu nome envolvido nas denúncias, mas viu a pressão sobre si aumentar consideravelmente.

Tudo começou ainda antes de a investigação da Justiça americana ser revelada. Na semana retrasada, Luís Figo e Michael van Praag retiraram as suas candidaturas à presidência da Fifa . Os dois, opositores a Blatter, detonaram o processo eleitoral da entidade e optaram por desistir do pleito para não dividirem votos com Ali Bin Al-Hussein. “Este é um plebiscito de entrega do poder absoluto a um só homem”, atacou o português.

Depois, com as prisões de dirigentes da Fifa em pleno hotel Baur au Lac dois dias antes do pleito , Blatter passou a receber ainda mais pressão. Primeiro, Diego Armando Maradona o desafiou a conseguir a reeleição . Depois, a Uefa declarou apoio à oposição e pediu a saída do suíço . Por fim, o jornalista investigativo Andrew Jennings, que cedeu ao FBI os documentos cruciais para as detenções, revelou que o atual presidente da entidade era o próximo alvo .

Blatter também deixa COI

O suíço Jooeph Blatter deixará também de ser membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), órgão do qual faz parte em razão de seu cargo federativo. Blatter foi eleito membro do COI em 1999, dentro da cota reservada a presidentes de federações internacionais. Por esta razão, não pertencerá ao Comitê Olímpico Internacional a partir do momento em que deixar o posto na Fifa. O suíço deveria, em todo caso, ter deixado o COI no final de 2016, após completar 80 anos, limite de idade para os escolhidos antes de 2000.

 
Foto: AFP

Com informações da EFE

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade