PUBLICIDADE

Shakhtar ameaça brasileiros que recusaram volta à Ucrânia

21 jul 2014 09h26
| atualizado às 09h28
ver comentários
Publicidade
Rinat Akhmetov também diz que jogadores podem retornar ao Shakhtar rapidamente
Rinat Akhmetov também diz que jogadores podem retornar ao Shakhtar rapidamente
Foto: Shakhtar / Divulgação

Em sua página, o Shakhtar Donetsk oficializou a informação de que seis jogadores - cinco brasileiros e um argentino - do clube se recusaram a voar da França para a Ucrânia no domingo. Por meio de uma carta assinada pelo presidente Rinat Akhmetov, a equipe ucraniana se mostrou firme e inflexível. Fez, inclusive, uma ameaça para Dentinho, Alex Teixeira, Fred, Ismaily, Douglas Costa e ainda Facundo Ferreyra. 

"Os jogadores têm contratos que precisam cumprir. Se eles não vierem, acho que eles serão os primeiros a sofrer", declarou Akhmetov. No comunicado, o presidente do Shakhtar afirma assegurar segurança aos jogadores, diz que atuar é uma forma de dar alegria para a população ucraniana e nega a possibilidade de vender os atletas por um preço inferior ao de mercado. 

A "fuga" dos jogadores se deve ao medo pela situação tensa que toma conta da Ucrânia, especialmente na região de Donetsk, onde está localizado o Shakhtar. Na última quinta-feira, um avião com 298 pessoas foi derrubado justamente no espaço aéreo ucraniano. Segundo autoridades internacionais, os responsáveis pelo acidente são separatistas ligados à Rússia. 

Abaixo, confira a íntegra da carta de Rinat Akhmetov:

É verdade, seis jogadores não vieram. Alex Teixeira, Fred, Dentinho, Douglas Costa, Facundo Ferreyra e Ismaily. Eu não descarto que esses jogadores vão retornar rapidamente ao time, e alguns deles amanhã (nesta segunda). Os jogadores têm contratos que eles precisam cumprir. Se eles não vierem, acho que eles serão os primeiros a sofrer. Cada um deles têm uma cláusula mínima de rescisão, cada um com dezenas de milhões de euros. Se alguém quer reduzir esse montante em milhões, essa decisão é nossa. Não haverá "pechincha". 

Esperançosamente, o coração e a mente vão prevalecer sobre o mal-entendido, e os jogadores não vão seguir o medo e à tentação. Especialmente porque não há o que temer. Estamos prontos para prover segurança. Não vamos correr riscos e em nenhum caso vamos levar os jogadores a locais perigosos. Queremos muito jogar em Donetsk, mas, infelizmente, no momento não podemos. Vamos jogar onde estamos autorizados: queremos fazer in Kharkiv. A decisão em relação ao campeonato é tomada pela Federação Ucraniana de Futebol. Através do nosso jogo, vamos pedir paz e tentar trazer alegria aos nossos fãs. 

Apesar do fato de que estamos enfraquecidos pelo jogo da Supercopa contra o Dínamo de Kiev, nossos jogadores vão dar seu melhor para fazer um jogo duro contra nossos oponentes. Talvez alguém pense que será um jogo fácil para o Dínamo, mas não será fácil. E no futuro o Shakhtar não vai se tornar mais fraco - vai ser mais forte. Vamos jogar pelos fãs e pela paz. 

Mircea Lucescu? Não houve nenhum problema, absolutamente. Temos uma relação muito boa. Ele está em seu lugar e fez muito para o Shakhtar dar um passo adiante. Estou certo de que ele vai fazer o time melhor. 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade