4 eventos ao vivo

Federação peruana não pretende desconvocar Guerrero

19 ago 2014
14h26
atualizado às 16h03
  • separator
  • 0
  • comentários

A Federação Peruana de Futebol só vai liberar Guerrero dos amistosos contra Iraque e Catar, dias 5 e 9 de setembro, respectivamente, se o atacante for claro no pedido de dispensa e convencer a comissão técnica disso. Para o gerente da seleção do Peru, Antonio García Pye, porém, não chegou carta alguma do jogador pedindo para ser desconvocado.

<p>Guerrero não quer desfalcar o Corinthians</p>
Guerrero não quer desfalcar o Corinthians
Foto: Felipe Oliveira / Getty Images

"(O técnico) Pablo Bengoechea falará com ele a respeito e tomará uma decisão", disse Pye, em entrevista ao jornal peruano Depor. "É claro que não vamos obrigá-lo (a se apresentar), mas vamos ver o que ele dirá. O que está claro é que ele está convocado e pelo regulamento da Fifa, está obrigado a vir".

O pedido de dispensa foi cogitado pelo próprio Guerrero, durante entrevista coletiva concedida na segunda-feira. Por causa dos dois amistosos, ele deve desfalcar o Corinthians nos jogos contra o Bragantino (dia 3/9), pela Copa do Brasil, e Criciúma (7/9) e Atlético-MG (11/9), pelo Campeonato Brasileiro.

Além de Guerrero, o Corinthians terá os desfalques do zagueiro Gil e do volante Elias, convocados para a Seleção Brasileira, do zagueiro Cleber, que está sendo negociado com o Hamburgo, e do volante Petros, que pegou 180 dias de suspensão pelo empurrão no árbitro Raphael Clauss, durante a vitória sobre o Santos, na Vila Belmiro. E ainda pode perder o meia Lodeiro, já que a seleção uruguaia jogará amistosos contra Japão e Coreia do Sul em 5 e 8 de setembro, na Ásia.

O gerente afirmou ainda que Guerrero é um jogador que tem demostrado sempre muita entrega e muito carinho pela seleção peruana, por isso acha estranho que ele tenha cogitado pedir dispensa.

"Nas partidas contra Inglaterra e Suíça não teríamos como obrigar o Corinthians e eles decidiram que não jogasse. Neste caso, é o inverso, a federação tem o direito de exigir, mas a decisão será do treinador, que tem contato direto com os jogadores. Anunciada a convocação, me parece um pouco perturbador que se tome este tipo de decisão (de pedir para ser desconvocado), é um pouco tarde, mas não quero adiantar opiniões", completou.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade