4 eventos ao vivo

Eliminado, Palmeiras volta a conviver com pressão para vencer o Brasileiro

Competição nacional é a única chance de o time fechar a temporada com pelo menos uma taça

28 ago 2019
04h41
atualizado às 10h41
  • separator
  • 0
  • comentários

A queda nas quartas de final da Copa Libertadores diante do Grêmio, nesta terça-feira, em pleno Pacaembu, deixa o Palmeiras acuado pela necessidade de conquistar o Campeonato Brasileiro. O adeus à competição continental faz o clube alviverde ter o torneio nacional como última e única chance de fechar a temporada com pelo menos uma taça conquistada.

A pressão deve ser grande no Palmeiras de agora em diante. O clube já experimentou a ira da torcida nas duas eliminações anteriores na temporada, no Campeonato Paulista e Copa do Brasil. Nesses dois momentos as cobranças se intensificaram e o elenco demonstrou considerar exagerado o tom dos protestos. Eliminado da principal competição da temporada, a pressão agora vai aumentar ainda mais, principalmente em cima do técnico Luiz Felipe Scolari.

A queda na semifinal do Campeonato Paulista para o São Paulo, nos pênaltis, fez o ônibus do time ser recebido com pedradas e garrafadas dias depois, quando voltou ao Allianz Parque para disputar uma partida. Após cair na Copa do Brasil diante do Inter, os jogadores viajaram para enfrentar o Ceará, pelo Campeonato Brasileiro, e encontraram na frente do hotel um protesto contra a má atuação.

Por isso, de agora em diante, o elenco alviverde deve encarar descontentamento parecido. O Palmeiras terá até o fim do ano apenas o Campeonato Brasileiro para disputar, porém o momento na única competição restante está longe de ser desfavorável. São seis jogos seguidos sem ganhar e uma queda de rendimento que fez o clube cair do primeiro para o terceiro lugar.

O próprio contexto da eliminação na Libertadores deste ano compromete a tranquilidade do time. O Palmeiras deixou escapar uma classificação depois de ter vencido o Grêmio no jogo de ida, por 1 a 0. O clube alviverde fez a melhor campanha da fase de grupos da competição, assim como conseguiu em 2018, mas pelo quarto ano seguido se despede da competição continental diante da própria torcida.

No ano passado a equipe também vivenciou a situação parecida de só ter o Brasileirão para disputar, mas havia uma série de atenuantes. O Palmeiras caiu na Libertadores na semifinal diante do Boca Juniors, ao deixar o campo aplaudido pela torcida. Naquela época, a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari era líder da competição nacional com uma boa folga e vivia, portanto, um ambiente mais tranquilo.

O Palmeiras terá nas próximas semanas de lidar com a decepção da torcida, com a frustração do elenco e a cobrança interna para não fechar o ano de mãos vazias. Se durante tempos o grito das arquibancadas descrevia a Libertadores como obsessão, a partir de agora o time ouvirá que o Brasileiro será obrigação.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade