0

Baixinho de 1,64 m entra aos 30min e comanda virada da Itália no PE

19 jun 2013
20h54
atualizado às 21h20
  • separator
  • 0
  • comentários

O 1,64 m de Sebastian Giovinco parece ainda menos do alto da Arena Pernambuco, que estava praticamente lotada para receber a partida entre Itália e Japão, nesta quarta-feira, pela segunda rodada da Copa das Confederações. O meia da Juventus foi acionado pelo técnico Cesare Prandelli em uma “fogueira”, com o time asiático dominando o jogo e vencendo por 1 a 0, mas correspondeu às expectativas. Ele entrou no lugar de Alberto Aquilani aos 30min do primeiro tempo e mudou o panorama da partida até marcar o gol da vitória de seu país, por 4 a 3, aos 41min da segunda etapa.

A troca foi motivada por simples escolha técnica de Prandelli. Aquilani, titular nesta quarta no lugar do poupado Claudio Marchisio, atuava mal e deixou o campo ainda no primeiro tempo. Giovinco entrou e apenas três minutos depois viu a situação piorar: Shinji Kagawa ampliou para 2 a 0 a vantagem do Japão, empolgando a torcida brasileira que apoiava clamorosamente os asiáticos.

Mas a Itália tinha Giovinco. Ele não participou do gol que iniciou a reação, marcado de cabeça aos 41min da primeira etapa por Daniele de Rossi, após escanteio cobrado por Andrea Pirlo. Aos 46min, no entanto, Giovinco já deu mostras da virada que estava por vir, quando recebeu passe na grande área e chutou rasteiro, carimbando a trave esquerda do goleiro Eiji Kawashima.

<p>Giovinco usou sua velocidade para aproveitar contra-ataques da Itália</p>
Giovinco usou sua velocidade para aproveitar contra-ataques da Itália
Foto: Marcelo Pereira / Terra

Se a bola não entrou nesse lance, entraria logo após a volta do intervalo. Aos 5min da segunda etapa, Emanuele Giaccherini fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro; Atsuto Uchida tentou cortar com um carrinho, mas acabou por colocar a bola nas próprias redes.

Dois minutos depois, Giovinco dominou a bola na grande área e arriscou o chute, rebatido por um toque de mão Makoto Hasebe. O árbitro argentino Diego Abal assinalou um pênalti polêmico, o qual Mario Balotelli converteu com direito a uma paradinha.

A virada italiana não se concretizou aí. Empurrado pela torcida, o Japão reagiu a partir do gol de cabeça de Shinji Okazaki, que voltou a igualar o marcador aos 24min. Na parte final do duelo, a equipe asiática dominava as ações diante de uma Itália que parecia cansada. Os japoneses trocavam passes rápidos e precisos aos gritos de “olé” da torcida pernambucana, mas a combinação entre Gianluigi Buffon e Giovinco salvaram a Itália.

Enquanto o goleiro fez boas defesas, o meia aproveitou um contra-ataque para marcar o quarto e decisivo gol da Azzurra: aos 41min da segunda etapa, ele recebeu passe de Marchisio e, livre na grande área, só teve o trabalho de empurrar a bola para as redes de Kawashima.

Foi o primeiro gol de Giovinco, 26 anos, com a camisa da seleção principal da Itália, em agora 16 partidas disputadas. Ao apito final de Abal, os torcedores pernambucanos aplaudiram bastante e soltaram novos gritos de “Japão”. Enquanto isso, o meia, apelidado de “Formiga Atômica” e atleta mais baixo desta edição da Copa das Confederações, recebeu o abraço efusivo dos jogadores italianos, que saíram correndo do banco de reservas em sua direção.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade