0

Voto da CBF no Marrocos abre crise na Conmebol

Coronel Nunes rompeu acordo em torno de EUA, México e Canadá

14 jun 2018
18h58
atualizado às 19h21
  • separator
  • comentários

O voto do presidente em exercício da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Coronel Nunes, no Marrocos para sediar a Copa do Mundo de 2026 abriu uma crise na Conmebol, que havia se comprometido a apoiar a candidatura tríplice de Estados Unidos, México e Canadá.

Sem saber que a votação da última quarta-feira (13) era aberta, como havia sido alardeado pela Fifa, Nunes votou no Marrocos, contrariando a Conmebol e a própria cúpula da CBF. Questionado, disse que o voto era secreto. Depois, culpou os delegados que o acompanhavam na votação.

Por fim, admitiu que escolhera o país africano porque ele nunca sediou uma Copa. No entanto, sua postura causou irritação na cartolagem sul-americana, a começar pela Associação de Futebol Argentino (AFA), cujo presidente, Claudio Tapia, afirmou que Nunes "ficou perto da traição" ao votar no Marrocos.

Coronel Nunes, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)
Coronel Nunes, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)
Foto: PEDRO MARTINS/Agif / Gazeta Press

A postura teria irritado até o presidente da Fifa, Gianni Infantino. Também nesta quinta (14), Nunes não apareceu em um evento da Conmebol na Rússia. A entidade sul-americana tenta angariar apoio para uma candidatura conjunta de Argentina, Uruguai e Paraguai para a Copa de 2030.

Nunes sairá da CBF em abril de 2019, quando dará lugar a Rogério Caboclo.

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade