2 eventos ao vivo

Viradas, gols e vitórias: ofensividade marca início da Copa

15 jun 2014
09h54
atualizado às 11h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Calor, fuso-horário e possível oba-oba. Antes de começar, a Copa do Mundo de 2014 provocava certas dúvidas quanto à quantidade de gols e qualidade das partidas disputadas em solo brasileiro. Após três dias e apenas oito jogos, porém, tudo caiu por terra. A 20ª edição do principal torneio de futebol do planeta tem, até aqui, a maior média de gols desde 1958, ainda não amargou empates e já soma mais viradas que o Mundial da África do Sul inteiro.

<p>Neymar já fez dois gols na Copa; Até aqui, são 28 no total em oito jogos</p>
Neymar já fez dois gols na Copa; Até aqui, são 28 no total em oito jogos
Foto: Getty Images

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

A Copa disputada em 2010, aliás, teve certa culpa pelo pessimismo instaurado sobre o Mundial do Brasil. Na ocasião, foram apenas 145 gols feitos em 64 jogos, e a segunda pior média de tentos da história: 2,26 gols por partida, acima somente da Copa disputada na Itália em 1990 (2,21). A campeã Espanha, por exemplo, venceu todos os seus jogos no mata-mata por 1 a 0, sendo que o único tento da grande final contra a Holanda foi marcado apenas aos 11min do segundo tempo da prorrogação.

Realidade bem diferente da vista até aqui no Brasil. Em apenas oito jogos disputados no momento, foram incríveis 28 gols. Uma média de 3,5 tentos por partida – a maior desde os 3,6 anotados na Suécia, em 1958. Na história das Copas, somente os seis primeiros Mundiais tiveram mais redes balançadas em média (3,88 em 1930; 4,11 em 1934; 4,66 em 1938; 4 em 1950; e 5,38 em 1954).

O número de gols marcados apenas na primeira metade da rodada inaugural no Brasil já supera ao dos feitos na África em 16 partidas. Foram apenas 25 redes balançadas nos primeiros jogos de cada seleção em 2010 (28 em oito jogos no Brasil). Além disto, o público verde e amarelo ainda não teve o “desgosto” de ver um empate na Copa do Mundo. Nesta mesma altura do torneio, os africanos já haviam presenciado três.

Por fim, as reviravoltas também têm chamado a atenção. Foram quatro viradas de placar em oito jogos no Mundial do Brasil. Logo na abertura, a Seleção comandada por Luiz Felipe Scolari reagiu ao primeiro gol da Croácia e venceu por 3 a 1. Depois, na sexta-feira, a Holanda não se abalou com o tento marcado por Xabi Alonso e decretou uma histórica goleada por 5 a 1 em Salvador. No sábado, Costa Rica fez três gols seguidos após sofrer o primeiro do Uruguai em Fortaleza, e Costa do Marfim virou e venceu o Japão por 2 a 1 no Recife.

Em 64 jogos, a Copa do Mundo na África protagonizou apenas três viradas: Grécia 2 x 1 Nigéria, Camarões 1 x 2 Dinamarca, e Brasil 1 x 2 Holanda.

O cenário brasileiro parece estar, de fato, servindo de inspiração para os principais jogadores de futebol do planeta.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade