0

"Mais de 15 anos no poder é absurdo", diz Andrés sobre Teixeira

6 fev 2012
20h15
atualizado às 23h57
Diego Garcia
Direto de São Paulo

O atual diretor de Seleções da CBF, Andrés Sanchez, afirmou nesta segunda-feira ser um absurdo um homem passar mais de 15 anos no poder de uma Confederação de Futebol, quando questionado sobre a permanência de Ricardo Teixeira na entidade - ele está lá desde 1989. O presidente licenciado do Corinthians deu entrevista nesta quinta-feira na sabatina da Folha de São Paulo, em evento realizado no Shopping Higienópolis, em São Paulo.

"Acho que no clube não tem remuneração, apesar de alguns dizerem que roubamos. Teria que ser projeto para dez anos, como a minha diretoria fez, e a cada três anos se muda a presidência. Na Confederação tem que ser um prazo maior, mas tem que ser um limite. Se passar de 15 anos no cargo é um absurdo", afirmou o dirigente, que depois declarou: "não acredito que ele (Ricardo Teixeira) irá passar de 2015 no cargo. Quero acreditar que ele sai em 2015", afirmou.

Andrés Sanchez foi nomeado no final do ano passado como diretor de Seleções da CBF. Sobre seu cargo, o corintiano ainda prometeu linha dura com os jogadores em casos de indisciplina com a equipe verde e amarela e prometeu evitar o mesmo clima que existiu na "era Dunga".

"Vou me envolver em casos de disciplina. Quando ganha tudo é muito bonito. Não pode ser como a do Dunga e nem como a de outros. Tem que ter um meio termo, todos têm que ter acesso, mas sem liberar muito. Sou contra a concentração, mas às vezes é necessário", declarou Sanchez, dando sua opinião sobre o polêmico tema das concentrações.

"Não vai ter culto, mas cada um faz no seu quarto o que quiser. Os caras se trancam no quarto, ficam com o Ipad, pelo amor de Deus o que fazem lá. Em 2010 isso não atrapalhou. Não teve interferência o fato de ter muitos evangélicos. Toda concentração atrapalha, 30 homens trancados um mês, há o desgaste do dia a dia", definiu Andrés.

O dirigente não escondeu o salário que receberá da CBF como diretor das Seleções. "Vou ganhar R$ 75 mil, como todos os diretores. Acho que o presidente é mais, mas não sei quanto ele ganha. O Fabio Koff ganhava R$ 82 mil", comentou.

Andrés Sanchez foi sabatinado nesta segunda-feira
Andrés Sanchez foi sabatinado nesta segunda-feira
Foto: CBF / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade