PUBLICIDADE

Irregular, Coreia do Sul é segundo teste do Brasil contra rivais de 2014

11 out 2013 13h55
| atualizado em 31/5/2014 às 12h22
ver comentários
Publicidade
<p>Dante mostrou conhecimento sobre jogadores da Coreia do Sul</p>
Dante mostrou conhecimento sobre jogadores da Coreia do Sul
Foto: Bruno Spada/ Vipcomm / Divulgação

Desde que foi anunciado o amistoso entre Coreia do Sul e Brasil, em agosto, a seleção asiática conquistou seu principal objetivo para 2013, que era se classificar para a Copa do Mundo do ano seguinte. Por conta disso, a partida deste sábado no Estádio Sang-Am, em Seul, ganha importância para os dois lados. E para o time comandado por Luiz Felipe Scolari, trata-se do segundo teste diante de uma seleção já confirmada no Mundial de 2014 – contra a Austrália, também já assegurada, a Seleção não teve problemas e goleou por 6 a 0.

A classificação da Coreia do Sul para a Copa 2014 não foi simples, sendo assegurada apenas na última das oito rodadas da quarta rodada das Eliminatórias Asiáticas. Mesmo derrotada em casa frente ao Irã (1 a 0), o time comandado pelo ex-zagueiro Myung-Bo Hong pegou a segunda vaga do Grupo A no saldo de gols, já que o Uzbequistão empatou em pontos (13 a 13) ao golear o Líbano por 5 a 1. Pior para os uzbeques, que perderam a vaga asiática na repescagem contra a América do Sul para a Jordânia.

A situação expôs as dificuldades pelas quais passam a Coreia do Sul, que se aproxima de sua pior posição na história do ranking da Fifa – o país é atualmente o 58º colocado da lista, mas já foi 62º em fevereiro de 1996. Ainda assim, os jogadores da Seleção Brasileira alertam para as dificuldades que os sul-coreanos podem oferecer, por jogarem em casa e por contarem com uma geração amadurecida no futebol europeu.

Dante faz alerta para sul-coreanos do Campeonato Alemão:

“A estatística pode não ser tão favorável para eles, mas eu conheço alguns atacantes deles que jogam na Alemanha e que são muito bons jogadores”, avisou o zagueiro Dante, do Bayern de Munique, citando indiretamente o atacante Ja-Cheol Koo, do Wolfsburg. O meia Heung-Min Son também atua no futebol alemão, no Bayern Leverkusen. “Eles são habilidosos também. A gente tem que fazer uma partida bastante concentrada para não ter surpresas.”

Entre os 25 jogadores convocados por Myung-Bo Hong para a partida deste sábado, nove atuam no futebol europeu e alguns deles podem oferecer dificuldades para o ataque da Seleção. “Tem um jogador deles que joga na Inglaterra, que estava no Swansea, que é volante e é muito bom”, avisou o meia Oscar. O volante em questão é Sung-Yueng Ki, emprestado ao Sunderland após duas temporadas no time galês e provável titular da Coreia do Sul.

Não será o primeiro encontro entre Oscar e Ki, por sinal. Os dois já se enfrentaram nas semifinais do torneio masculino de futebol da Olimpíada de 2012, em Londres. Na ocasião, o Brasil venceu por 3 a 0, graças a gols de Rômulo e Leandro Damião (dois). Da equipe coreana que iniciou aquela partida, seis jogadores estão entre os convocados para o amistoso deste final de semana: Bum-Young Lee (goleiro), Suk-Young Yun, Young-Gwon Kim (zagueiros), Seok-Ho Hwang (lateral esquerdo), Sung-Yueng Ki e Bo-Kyung Kim (volantes). O técnico era o próprio Myung-Bo Hong.

Oscar lembra confronto com a Coreia do Sul na Olimpíada de Londres:

“Que eu me lembre, a gente fez o gol no finalzinho do primeiro tempo (Rômulo, aos 37min). Antes do gol, a Coreia estava tocando muito bem a bola. Eles criaram bastante. Foi um jogo difícil, e eu tenho certeza de que o jogo de sábado vai ser difícil. É um time que corre o jogo todo”, avalia Oscar, satisfeito com a agenda de amistosos da Seleção antes da Copa de 2014 contra equipes já classificadas para o torneio. “A gente não tem jogos valendo três pontos, então todo jogo se torna importante. Contra a Coreia, se torna importante. Enfrentei eles na Olimpíada, e é um time bom. Vai ser um jogo difícil, em que a gente tem que mostrar nosso futebol”, acrescentou.

O meia do Chelsea era um dos jogadores presentes na semifinal olímpica, quando o Brasil era comandado por Mano Menezes, que também foi convocado para os amistosos contra Coreia do Sul e Zâmbia (dia 14, em Pequim). Além dele, também atuaram em 2012 o lateral esquerdo Marcelo e os atacantes Neymar, Hulk e Alexandre Pato – Thiago Silva, cortado por lesão dos jogos na Ásia, também atuou na ocasião. Porém, mesmo entre os que não estavam na Olimpíada, os elogios ao nível do amistoso são praticamente unânimes.

“Nós sabemos que, hoje em dia, não tem mais equipe boba no futebol. Todas as equipes têm qualidade, têm jogadores bons. Acredito que a Coreia é mais uma equipe dessas. Temos que ser fieis a nosso estilo de jogo, ao que a gente vem fazendo: marcação pressão, jogadas rápidas, procurar fazer o resultado o mais rápido possível. É isso que a gente vai procurar fazer de novo”, avisou o volante Luiz Gustavo.

“Cada adversário que nós temos, temos que mostrar nosso valor. Neste ano, tivemos vários confrontos com times de altíssimo nível. Fomos muito bem. É mais uma chance, uma oportunidade. O importante é aproveitar esse tempo para entrosar, assimilar aquilo que a comissão técnica nos passa. A gente sabe que a cobrança sempre existe, independente do adversário. Temos a consciência disso”, concordou o goleiro Diego Cavalieri, que deve ser reserva de Jefferson no amistoso.

O técnico Myung-Bo Hong não divulgou o time que deverá escalar no amistoso, mas a tendência é que os donos da casa entrem em campo com Sungr-Yong Jung; Chung-Yong Lee, Chang-Soo Kim (Suk-Young Yun), Young-Gwon Kim e Jeong-Ho Hong; Sung-Yueng Ki, Bo-Kyung Kim , Myung-Joo Lee e Heung-Min Son; Dong-Won Ji e Ja-Cheol Koo.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade