PUBLICIDADE

Jorginho nega xenofobia e volta a condenar comportamento de Abel Ferreira: "Simplesmente ridículo"

17 jun 2022 - 16h00
Ver comentários

A polêmica entre Abel Ferreira e Jorginho segue dando o que falar. Na última quinta-feira, após a derrota por 4 a 2 diante do Palmeiras, o treinador do Atlético-GO disparou contra o português, criticando-o por seu comportamento à beira do campo. No entanto, o comandante do Dragão afirmou que as atitudes de Abel são um "desrespeito" ao Brasil devido ao fato de que o treinador vem de outro país. A afirmação gerou muita discussão.

Nesta sexta-feira, o Palmeiras se pronunciou nas redes sociais em repúdio à fala de Jorginho, a qual considerou ter "cunho xenófobo". Em resposta à polêmica, o ex-lateral brasileiro descartou o preconceito, mas reafirmou as críticas ao treinador.

"Eu tenho 12 anos de experiência fora do meu país, aprendi a amar as pessoas independente de qualquer coisa", disse à SporTV. "Se, de alguma forma, passou essa imagem, não é minha forma de ser. Eu não sou xenófobo, não tenho nenhum problema. Desenvolvo trabalhos sociais tanto no Brasil como fora do Brasil. Tenho uma instituição na Alemanha. Então, não é uma justificativa, é apenas a colocação de quem eu verdadeiramente eu sou", completou.

O treinador do Atlético-GO disse, ainda, que não tem nada pessoal contra o treinador e buscou explicar o seu ponto nas aspas ditas após a partida da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Nunca estive com ele pessoalmente, falando com ele, mesmo porque, no jogo de ontem, ele não veio me cumprimentar, como normalmente um anfitrião tem que fazer. Não entendi essa postura. Mas, o que me assusta, na realidade, em campo, é a forma agressiva e desrespeitosa com que tanto ele como a sua comissão técnica fazer com o quarto árbitro, com o bandeira e com o próprio árbitro", afirmou.

"À beira do campo, sinceramente, ele precisa muito mudar o seu comportamento. Está sendo muito polêmica essa minha colocação, no caso a ele vir ao nosso país. O que eu quero dizer, porque já estive como treinador fora, eu respeitava os árbitros japoneses, que erravam muito. Eu tive um gol anulado contra o Corinthians, um gol lícito, eu fui à imprensa e eu falei do erro, mas com todo o respeito ao árbitro e ao VAR", concluiu.

Jorginho voltou a condenar o comportamento de Abel Ferreira e espera que o português reflita.

"Com essa discussão, que ele possa, pelo menos, refletir para ele, para a sua comissão, que eles precisam, urgentemente, mudar o comportamento deles em campo, porque é inaceitável, simplesmente ridículo", afirmou o treinador, que reclamou, por fim, da impunidade.

"O que me deixa triste, ainda, como treinador, é que se eu faço uma situação dessa eu rapidamente sou punido com o cartão vermelho", disse.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade