PUBLICIDADE

Análise: ideias de Bustos e meio-campo não funcionam, e Santos perde chance de voltar à liderança

16 mai 2022 06h05
ver comentários
Publicidade

Por Marina Bufon

O Santos foi até o Estádio da Serrinha, em Goiânia, e perdeu para o Goiás por 1 a 0, em partida válida pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, na noite de domingo. Além de frear uma ótima sequência de três vitórias seguidas, o clube ainda perdeu a chance de retomar a liderança da competição, estacionando nos dez pontos e caindo para a quinta posição.

Se o técnico Jair Ventura desenhou teoricamente uma partida contra seu ex-clube, na prática foi exatamente o que ele havia previsto. Depois de um início movimentado, o Esmeraldino conseguiu chegar ao gol em pênalti de Velázquez cometido em cima do experiente (e cheio de fôlego) Apodi. Elvis converteu.

Depois disso, os donos da casa se fecharam e o Peixe teve muita dificuldade para conseguir se infiltrar na defesa, conseguindo criar algo, de fato, apenas no final dos primeiros 45 minutos. O destaque negativo ficou com Angulo, que não se encontrou no meio-campo, fazendo uma péssima partida do começo ao fim, já que não foi substituído.

Isso precisa ser falado também: Fabián Bustos não fez boas escolhas nem na escalação inicial e nem nas substituições. O camisa 15 foi escalado atrás de Marcos Leonardo e nenhum dos dois funcionou bem, assim como Léo Baptistão, que pouco encostou na bola e ficou isolado.

O nome que mais apareceu foi o de Lucas Pires, já que as principais jogadas surgiram pela esquerda. Foi dele o chute mais perigoso do Santos no primeiro tempo, defendido por Tadeu.

Na segunda etapa, quando se esperavam algumas substituições, Bustos manteve os mesmos 11 em campo e o jogo continuou exatamente igual, com o Goiás melhor e com chances de ampliar a diferença, se não fosse em defesa de João Paulo. Assim como no primeiro tempo, o Santos ficou com a bola, mas nada conseguiu criar.

Se o Goiás venceu sua primeira partida em casa pelo Brasileirão, o Peixe seguiu sem vencer fora de seus domínios. Até agora, são duas derrotas e um empate fora de casa. Além do resultado, a atuação também ficou muito aquém, mesmo que durante a semana haja uma decisão na Sul-Americana - Bustos parecia "perdido" entre poupar, escalar, manter e jogar.

Na coletiva, o argentino afirmou que o resultado foi injusto, porque o Alvinegro criou, apesar de ter faltado efetividade. Não há como concordar, foi um jogo muito ruim do Santos, talvez o pior neste Brasileirão.

O torcedor, porém, pode enxergar uma luz no fim do túnel a partir de agora, já que, na sequência, são quatro jogos dentro da Vila Belmiro, pela Sul-Americana e pelo Brasileirão. Mas, claro, para almejar coisas maiores no torneio nacional, ganhar fora de casa seria um bom começo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade