0

Fusão com Fox aprovada: Espn poderá transmitir Libertadores

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira a fusão entre Fox Sports e Espn no Brasil

6 mai 2020
14h34
atualizado às 15h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Flamengo e River Plate disputaram a final da Libertadores no ano passado
23/11/2019
REUTERS/Pilar Olivares
Flamengo e River Plate disputaram a final da Libertadores no ano passado 23/11/2019 REUTERS/Pilar Olivares
Foto: Reuters

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira a compra da Twenty-First Century Fox pela Walt Disney, mediante acordo.

O relator do caso no órgão antitruste, Luis Henrique Braido, frisou que a Disney, dona do canal esportivo Espn, tentou vender o rival Fox Sports, mas que devido aos efeitos do coronavírus não foi possível dar sequência ao negócio.

"Diante disso, foram negociadas com a Disney medidas comportamentais que mitigam os problemas concorrenciais anteriormente constatados e buscam assegurar a diversidade de programação esportiva aos consumidores brasileiros", afirmou o Cade em comunicado.

Pelo acordo, a Disney deverá manter na grade de programação, por três anos ou até o término dos contratos, todos os eventos esportivos ora distribuídos no Brasil, manter o canal principal da Fox Sports, incluindo a transmissão dos jogos da Copa Libertadores, até o 1º de janeiro de 2022.

Depois disso, os eventos da Libertadores deverão ser transmitidos em algum dos canais da empresa até o final do atual contrato com a Conmebol. Porém, o Cade aprovou que outros direitos de transmissão sejam exibidos em emissoras do grupo. Com isso, a Espn poderá exibir a competição continental caso queira

Além disso, o acordo prevê que a Disney deverá devolver antecipadamente a marca Fox Sports, caso opte por encerrar a transmissão deste canal, deixando-a livre para ser usada por outro grupo que se interesse.

Em fevereiro de 2019, o Cade aprovou a compra da Fox pela Disney condicionada à venda do canal Fox Sports. Mas a venda não foi concretizada no tempo acordado. Por isso, o Cade decidiu em novembro passado revisar a operação.

 

Veja também:

Veja promessas do Barcelona que podem despontar no futuro
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade