PUBLICIDADE

Sobre quem retorna à elite, Vasco e Bahia não vão cair, e Diniz tem que continuar na seleção

Segundona nacional de 2023 acaba e Vitória, Juventude, Criciúma e Atlético-GO voltam à Série A; já Fernando Diniz é o melhor do Brasil

26 nov 2023 - 02h47
(atualizado às 03h12)
Compartilhar
Exibir comentários

A última rodada da Série B foi emocionante. Dois times rebaixados no ano passado estão de volta à elite do futebol brasileiro: Juventude e Atlético-GO. O time gaúcho mostrou garra fora de casa, virou para cima do Ceará, venceu por 3 a 1 e retornou à elite do futebol brasileiro. Já o Dragão goiano passou o trator no Guarani com um 3 a 0. O Atlético contou ainda com a derrota do Vila Nova para o potiguar ABC, rebaixado para a Terceirona, por 3 a 2. O Novorizontino venceu o Criciúma por 2 a 0, mas o clube de Santa Catarina subiu. O de São Paulo bateu na trave, ficou na quinta colocação e vai amargar a Série B em 2024.

O Vitória é o campeão da Segundona, porém, na última rodada, sofreu virada da Chapecoense, que escapou do rebaixamento de forma heróica e venceu por 3 a 2 na Arena Condá.

Show tricolor e tristeza paranaense

América-MG e Coritiba estarão na Série B do ano que vem. O Coelho já caiu há algum tempo. O Coxa foi rebaixado pelo Fluminense no sábado à noite. Máquina Tricolor 2 a 1. Tudo por causa de dois atacantes extraordinários: Germán Cano e John Kennedy.

Germán Cano é um dos grandes artilheiros do mundo nos últimos dois anos
Germán Cano é um dos grandes artilheiros do mundo nos últimos dois anos
Foto: Lance!

Cano é o destaque da América do Sul. Fez 44 gols pelo Tricolor no ano passado. Em 2023, já são 39. O camisa 14 do Flu chegou a ser o artilheiro do mundo nessa temporada, inclusive tem mais gols do que Lionel Messi, que atua no campeonato de futebol dos EUA, ou seja, um torneio que tem defesas mais fracas do que as das equipes sul-americanas. Germán é um super matador mesmo. Na Libertadores, jogou 12 vezes e fez 13 gols. John Kennedy foi o grande atacante da fase final dessa mesma competição sul-americana. Após belas atuações contra o Argentinos Juniors, na partida de volta, o Olimpia e o Internacional. Contra esses dois últimos, deu show nos jogos de ida e de volta. Na final, fez o gol do título na prorrogação contra o tradicional Boca Juniors. Na minha seleção da Libertadores desse ano, Cano e JK estão absolutos. Além deles, outros seis jogadores do Fluminense também fazem parte dela! O técnico é Fernando Diniz.

Perguntem ao torcedor tricolor se ele quer Suárez, Pedro, Tiquinho Soares, Marcos Leonardo, Endrick, Vitor Roque, Cavani, Gabriel Jesus ou Gabigol na equipe? Obviamente não! O Flu tem dois centroavantes de alto nível.

Pergunta ao torcedor tricolor se ele quer Lucas Perri, Ederson ou Alisson no lugar do hiper experiente Fábio, de 43 anos? Não quer.

Chamado de ex-jogador por alguns, Marcelo, mais uma vez, jogou demais como meia direita. Final de carreira para ele? Nãoooooo. Fernando Diniz é um excepcional treinador, mas precisa colocar Marcelo no setor de meio-campo. Faz um revezamento, Diniz. Qual é o treinador do país que pode escolher entre Marcelo e Paulo Henrique Ganso? Nenhum.

Dinizista com orgulho

Fernando Diniz é o treinador diferenciado do momento e merece continuar na seleção brasileira 

Foto: Lucas Merçon/Fluminense
Fernando Diniz é o treinador diferenciado do momento e merece continuar na seleção brasileira Foto: Lucas Merçon/Fluminense
Foto: Lucas Merçon/Fluminense / Jogada10

Aliás, deixa escrever umas coisinhas sobre Diniz. O brilhante técnico do Flu tem culpa, nas Eliminatórias da Copa do Mundo, pelas três derrotas seguidas (Uruguai, Colômbia e Argentina) e pelo vergonhoso empate com Venezuela em casa? Tem…

...mas não muita. A grande culpada dessa bagunça chamada seleção amarelinha é a Confederação Brasileira de Futebol. Quando Tite comentou três meses antes da Copa do Mundo que iria sair do comando do escrete logo depois da competição no Catar, que foi vencida pela Argentina de Messi, a cúpula da CBF já deveria ter um treinador pré-contratado. Para a sorte dos tricolores, Diniz não foi chamado em 2022. Ramon e Fernando Diniz foram colocados em uma furada absurda em 2023.

Tudo bem que o estilo de jogo dinizista é bem difícil de se adaptar. Veja o caso do grande volante Casemiro, que se mostrou completamente perdido no meio-campo. Diniz ainda teve muito azar com as lesões de Neymar, Vini Júnior, Marquinhos, do próprio Casemiro e de outros. Fernando Diniz tem alguma culpa no cartório com os resultados ruins da seleção brasileira nas Eliminatórias para a Copa de 2026? Tem sim. No entanto, é um profissional que merece mais chances como o comandante da única equipe pentacampeã mundial. Saio em defesa do Fernando siiiiiim.

Sempre faço alguma crítica negativa quando escrevo sobre ele. Admito. Confesso. Sei dos defeitos, porém, vão colocar quem? Me digam. Por favor, nomes fincados no realismo. Por gentileza.

Sobre o Vasco e a luta contra o rebaixamento

O técnico Ramón Díaz mostra o caminho para o Vasco continuar na Série A do disputado Brasileirão
O técnico Ramón Díaz mostra o caminho para o Vasco continuar na Série A do disputado Brasileirão
Foto: Futebol BR

Voltando a falar sobre a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro, o Vasco conseguiu um empate heróico com o Athletico-PR, vice da Libertadores em 2022. O time da Zona Norte carioca quase venceu. A briga está inacreditável entre o Gigante da Colina, que não cairá, o Bahia, o Cruzeiro, o Santos e o Corinthians. Além de América-MG e Coritiba, Cruzeiro e Goiás estarão na Série B de 2024.

Abraços boleiros e dinizistas.

Fonte: PV Ferreira PV Ferreira é editor e jornalista esportivo com experiência em coberturas do futebol brasileiro, sul-americano e europeu, além das modalidades olímpicas e paralímpicas. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade