PUBLICIDADE

São Paulo surpreende Flamengo em pleno Maracanã

Vários erros de Sampaoli foram analisados nessa coluna desde o dia 4 de agosto; as coisas parecem piorar para o técnico argentino

18 set 2023 - 08h12
(atualizado às 08h21)
Compartilhar
Exibir comentários
Sampaoli abandonou o gramado antes do fim do primeiro tempo da final
Sampaoli abandonou o gramado antes do fim do primeiro tempo da final
Foto: Maga Jr/Agência F8/Gazeta Press

O São Paulo foi muito organizado do começo ao fim do jogo de ida da final da Copa do Brasil. O Rubro-Negro teve a posse de bola, mas quase não agrediu o Tricolor. O time comandado por Dorival Júnior ensaiou por duas vezes o gol da vitória. O que o São Paulo fazia? Roubava a bola na defesa, invertia o jogo com a bola caindo no pé de Caio Paulista, que dava sempre o penúltimo passe, e, no final do lance, o artilheiro Calleri finalizava.

Quando parecia que o Tricolor não estava aproveitando as chances, uma nova inversão aconteceu, Caio Paulista tocou para Rodrigo Nestor e, dessa vez, a bola foi na cabeça de Calleri. São Paulo 1 a 0. O goleiro Matheus Cunha teve saída equivocada e o atacante aproveitou. Aliás, a raça do argentino era gigantesca. Muita vontade de ser campeão.

Faltava agressividade ao Flamengo. Até os oito minutos do primeiro tempo, o time carioca, com o apoio da torcida no Maracanã, não chutou a gol. Essa falta de agressividade da equipe de Jorge Sampaoli foi um tiro no pé. Foi mortal para o Flamengo. O trabalho de Sampaoli, aliás, até agora, na segunda metade de setembro, é ruim. O técnico não conseguiu implementar um estilo ao time.

O Flamengo tem uma equipe de astros, mas a qualidade do futebol, na maioria das vezes, foi muito abaixo da média.

Nada mudou, aliás, tudo piorou. Olha o que escrevi no dia 4 de agosto:

“Mesmo com vários remanescentes de 2019, o fã do futebol-arte parece sentir falta da essência daquela brilhante equipe

Erro 1

Falta de padrão de jogo

Entendo que o técnico possui o melhor elenco (para os padrões do Brasil, o Fla está cheio de astros da bola mesmo). No entanto, 28 escalações em 28 jogos (na ocasião) não parece que algo está errado? Você surpreende o adversário se trocar um zagueiro ou/e um volante? É relevante uma troca dessa natureza? Sampaoli faz substituições mais no sistema defensivo do que ofensivo.

Erro 2

Falta de criatividade

Erro 3

Jogadas ‘manjadas’

Erro 4

Jogadores sem o mesmo brilho

O Fla de 2019, insisto, era sim uma equipe inesquecível pela coragem e originalidade. Mesmo com remanescentes daquele time, o ex-Rolo Compressor parece estar velhinho quase na hora de trocar as peças. Everton Ribeiro é um que, mesmo com lampejos de craque (e eu sou um fã dele), já não é o mesmo. Seria reforço para várias equipes medianas do Brasil. Não anda jogando 20% do que sabe. É duro para esse colunista escrever isso. O camisa 7 atuou no ano passado com metade de sua incrível capacidade, e o Mengo foi campeão da Libertadores e da Copa do Brasil. Defendi a convocação dele para a Copa do Mundo nas redes sociais. Um equívoco da minha parte.”

Essa é parte da coluna de um mês e meio atrás. Detalhe: o Flamengo estava invicto na Libertadores, com quatro vitórias e dois empates. Logo depois, o time de Sampaoli foi eliminado pelo paraguaio Olimpia.

Só resta para Jorge Sampaoli montar a equipe de uma forma que o Fla jogue a primeira partida brilhante desse ano. Só assim poderá calar um pouquinho os críticos, que, por enquanto, estão com a razão quando escrevem que o treinador argentino faz um dos piores trabalhos da carreira.

Fonte: PV Ferreira PV Ferreira é editor e jornalista esportivo com experiência em coberturas do futebol brasileiro, sul-americano e europeu, além das modalidades olímpicas e paralímpicas. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade